Noruega diz não haver ligação entre vacina e mortes de idosos

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 20 de janeiro de 2021 as 12:53, por: CdB

Autoridades de saúde do país afirmam não haver evidência de que mortes de 33 idosos foram causadas pela vacina da Pfizer-Biontech e que milhares de pessoas com saúde debilitada foram vacinadas sem efeitos fatais.

Por Redação, com DW – de

A Noruega afirmou na segunda-feira que não há evidência de uma ligação direta entre o uso da vacina da Pfizer-Biontech e mortes de idosos ocorridas no país após a aplicação do imunizante.

A Noruega já vacinou mais de 48 mil pessoas.v

Desde o início da campanha de vacinação no país, no fim de dezembro, a Noruega registrou 33 mortes de pessoas com mais de 75 anos que receberam a primeira dose, de acordo com as autoridades de saúde.

Os 13 casos estudados mais de perto até agora são de pessoas acima de 80 anos, frágeis e com doenças graves, segundo o Instituto Norueguês de Saúde Pública.

– É importante lembrar que, em média, morrem todos os dias 45 pessoas em asilos de idosos na Noruega. Portanto não está estabelecido que haja uma mortalidade excessiva ou que as mortes estejam relacionadas com as vacinas – declarou a diretora do instituto, Camilla Stoltenberg.

O diretor da Agência Norueguesa de Medicamentos, Steinar Madsen, acrescentou que os casos em que idosos com saúde frágil morreram foram muito raros e que milhares de pessoas com saúde debilitada foram vacinadas sem efeitos fatais. “Não estamos alarmados, e as pessoas não precisam ter medo de se vacinar”, disse.

Idosos e doentes

As autoridades de saúde do país disseram, porém, que não se pode descartar que reações adversas à vacina, como febre e náuseas, possam ter contribuído para as mortes, pois se tratava de pessoas de saúde frágil e muito doentes.

– É possível que alguns desses que receberam a vacina estivessem tão frágeis que talvez devesse ter sido reconsiderada a aplicação da vacina, porque estavam tão doentes que podem ter piorado com os efeitos colaterais normais de quando o corpo reage e cria imunidade – disse Stoltenberg.

Diante disso, a Agência Norueguesa de Medicamentos reiterou aos médicos, já na sexta-feira passada, que levem em conta o estado de saúde de pessoas debilitadas na hora de decidir se elas devem ou não receber a vacina.

– O que estamos dizendo é que se um paciente está muito doente, muito frágil e tem um tempo de vida restante curto, você deve fazer algumas avaliações adicionais sobre se é apropriado vaciná-lo – detalhou Madsen à emissora Euronews.

Vacinação começou em asilos

Outros especialistas também disseram que os efeitos colaterais comuns das vacinas de RNA mensageiro, tecnologia usada nos imunizantes da Pfizer-Biontech e da Moderna, como febre e náuseas, podem ser fatais para pessoas de idade muito avançada e gravemente doentes.

A Pfizer e a Biontech declararam que estão colaborando com as autoridades norueguesas para reunir todas as informações relevantes e lembraram que a campanha de vacinação na Noruega começou com os idosos em asilos, muitos dos quais em idade muito avançada e com enfermidades prévias e alguns em estado terminal.

A Noruega já vacinou mais de 48 mil pessoas. Estão sendo aplicadas tanto a vacina da Pfizer-Biontech quanto a da Moderna.