Nova Zelândia rejeita pedido para usar 5G da Huawei

Arquivado em: Destaque do Dia, Internet, Tablet & Celulares, Tecnologia, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 28 de novembro de 2018 as 11:53, por: CdB

A fornecedora de serviços em telecomunicação Spark New Zealand, que fez o pedido, disse nesta quarta-feira que irá avaliar o argumento antes de considerar novos passos.

Por Redação, com Reuters – de Wellington

A agência de inteligência da Nova Zelândia rejeitou o primeiro pedido da indústria de telecomunicações do país para usar equipamentos 5G fornecidos pela chinesa Huawei Tecnologies, citando preocupações sobre segurança nacional.

Nova Zelândia rejeita pedido para usar 5G da Huawei citando riscos à segurança nacional

A fornecedora de serviços em telecomunicação Spark New Zealand, que fez o pedido, disse nesta quarta-feira que irá avaliar o argumento antes de considerar novos passos.

A decisão ocorre no momento em que países ocidentais se tornam cada vez mais cautelosos sobre o que dizem ser envolvimento do governo chinês em celulares de quinta geração (5G) e outras redes de comunicação. A Huawei tem insistidamente repetido que Pequim não tem influência alguma sobre a companhia.

Austrália

Mais cedo neste ano, a vizinha Austrália barrou a Huawei de fornecer equipamento 5G, também citando riscos à segurança. Na semana passada, o Wall Street Journal reportou que o governo dos EUA estava tentando persuadir companhias de países aliados a evitar a Huawei.

– Eu informei a Spark que um risco significativo à segurança da rede foi identificado – disse o diretor-geral do Gabinete de Segurança de Comunicações do Governo, Andrew Hampton, nesta quarta-feira.

O ministro de Serviços de Inteligência, Andrew Little, disse à agência inglesa de notícias Reuters  que a Spark – cujo pedido foi parte da primeira aplicação 5G do país – trabalhará com a agência para mitigar riscos. Ele não quis especificar as preocupações, citando informações confidenciais.

A Huawei disse em nota que irá “ativamente responder a quaisquer preocupações e trabalhar junto para achar um caminho adiante”, acrescentando que assinou mais de 20 contratos 5G com provedoras ao redor do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *