Novak Djokovic teve covid em dezembro, diz defesa do tenista

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado sábado, 8 de janeiro de 2022 as 11:23, por: CdB

Advogados do número um do mundo deram a tribunal documentos provando que ele testou positivo no mês passado. Caso dados se confirmem, sérvio teria direito a entrar na Austrália sem vacinação. Djokovic está retido em Melbourne num hotel que abriga imigrantes que tiveram negada a permanência no país.

Por Redação, com DW – de Sydney

Novak Djokovic obteve isenção para vacina contra a covid-19 por ter testado positivo em dezembro, disseram seus advogados em documento apresentado à Justiça australiana neste sábado. Caso isso seja confirmado, ele estaria habilitado a entrar na Austrália sem vacinação contra o coronavírus.

Novak Djokovic

O tenista número um do mundo também pediu para ser transferido para uma instalação onde pudesse treinar antes do Aberto da Austrália, segundo seus advogados.

“A data do primeiro teste positivo de PCR para covid-19 foi 16 de dezembro de 2021”, declararam seus representantes no documento apresentado ao tribunal para tentar anular a revogação do visto de entrada de Djoovic na Austrália. Os papéis mostrariam também que nas 72 horas anteriores ao dia 30 de dezembro ele não apresentava mais sintomas da doença ou febre.

O esportista de 34 anos testou positivo para o coronavírus pela primeira vez em junho de 2020, logo após um surto de covid-19 entre participantes de um controverso torneio que ele ajudou a organizar e onde não eram previstas restrições de contato e obrigatoriedade do uso de máscara. Na época, ele mesmo divulgou publicamente o resultado. Por que isso não ocorreu em dezembro, não foi esclarecido.

Djokovic está retido em Melbourne num hotel que abriga imigrantes que tiveram negada a permanência no país, à espera de uma decisão judicial que lhe permita disputar o torneio Aberto da Austrália.

Isenção médica

Ele desembarcou na madrugada de quarta para quinta-feira, apresentando uma isenção médica para poder entrar no país sem ser vacinado contra covid-19. Entretanto, o documento não foi reconhecido pelas autoridades de imigração, e ele teve seu visto revogado, entrando com pedido de liminar para tentar reverter sua deportação.

Uma audiência foi agendada para esta segunda-feira perante um juiz de Melbourne, embora não esteja claro se o processo terminará a tempo de Djokovic poder defender seu título no Aberto da Austrália, realizado entre 17 e 30 de janeiro.

A revogação do visto de Djokovic criou tensões diplomáticas entre a Austrália e a Sérvia. A disputa sobre as isenções médicas concedidas pela Federação Australiana de Tênis e pelo governo regional do estado de Victory, onde é realizado o Aberto da Austrália, levou o governo australiano a investigar licenças semelhantes concedidas a outras pessoas que participam no torneio em Melbourne.

Tenista tcheca

Nesta sexta-feira, as autoridades australianas cancelaram o visto da tenista tcheca Renata Vorácová, que deverá retornar ao país de origem.

Uma fonte da autoridade de controle de fronteira confirmou a medida à rede de televisão ABC, apesar de a tenista já estar no país e ter disputado uma partida de preparação antes do Aberto da Austrália.

Vorácová foi transferida na quinta-feira para o mesmo hotel em Melbourne onde Djokovic está retido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code