Novo filme sobre Muro de Berlim vira a história de ponta-cabeça

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 11 de fevereiro de 2003 as 16:09, por: CdB

A história virou de ponta-cabeça num novo filme que está sendo exibido na capital alemã, no qual a queda do Muro de Berlim é retratada como um triunfo do sistema comunista.

As mentiras são muitas em “Good Bye, Lenin”, um dos 22 longas que competem pelo prêmio máximo do Festival de Cinema de Berlim. A principal delas é uma farsa elaborada pelo protagonista, Alex Kerner, para sua mãe doente.

A mãe, militante ferrenha do Partido Comunista, sofre um ataque cardíaco e entra em coma alguns dias antes da queda do Muro, em 9 de novembro de 1989, e só volta à consciência oito meses mais tarde.

Seu médico avisa Alex de que ela não pode sofrer mais choques, e o filho zeloso cria um bolsão da antiga Alemanha oriental em seu quarto, protegendo-a contra o mundo externo, que passou por transformações dramáticas.

Diante de um outdoor da Coca-Cola colocado no prédio em frente à janela da mãe, Alex diz a ela que o governo alemão oriental descobriu que o refrigerante, na realidade, foi inventado por cientistas comunistas.

Mais tarde, ele explica que os carros de fabricação ocidental estacionados na rua pertencem a refugiados que fugiram da vida dura do Ocidente.

“Good Bye, Lenin” já atraiu interesses nos EUA, Grã-Bretanha, França e Itália, segundo seus produtores.

O filme vai estrear esta semana em toda a Alemanha, o segundo maior mercado mundial do cinema em termos de vendas, num clima de expectativa considerável.

As pessoas que viveram os anos 1989-90 na Alemanha se recordam desse período como sendo de esperança e medo. Percebe-se que os Estados orientais da Alemanha continuam tentando alcançar os do lado ocidental em termos econômicos, mesmo hoje, mais de uma década após a queda do Muro.