Novo governo negocia excluir Bolsa Família da PEC da Transição

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 11 de novembro de 2022 as 15:32, por: CdB

Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o melhor cenário articulado pela equipe do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), prevê que os senadores concluam a análise do texto na primeira semana de dezembro. Assim, os deputados poderiam aprová-lo antes de 17 de dezembro.

Por Redação – de Brasília

A chamada ‘PEC da Transição’, articulada pelo novo governo eleito para abrir espaço no Orçamento para o pagamento do programa ‘Bolsa Família’ de R$ 600 e reajuste do salário mínimo acima da inflação, deverá ser apresentada na próxima quarta-feira.

Randolfe Rodrigues
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) foi um dos coordenadores de campanha do candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o melhor cenário articulado pela equipe do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), prevê que os senadores concluam a análise do texto na primeira semana de dezembro. Assim, os deputados poderiam aprová-lo antes de 17 de dezembro.

Apoio

— A ideia mais ou menos pensada ontem é na última semana de novembro inaugurar a tramitação. O cenário melhor seria a primeira semana de dezembro nós termos aprovado um texto para ir para Câmara e nós conseguirmos ter um texto de PEC consolidado e aprovado pela Câmara antes do dia 17 de dezembro — disse o parlamentar.

Para ser aprovada, a PEC precisará ter o apoio de três quintos dos senadores (49 dos 81), em dois turnos de votação. Ela segue então para a Câmara, onde será submetida novamente a dois turnos e precisará receber apoio de, ao menos, 308 dos 513 deputados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *