Novos insumos para produção da CoronaVac devem chegar nesta semana

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 1 de fevereiro de 2021 as 15:07, por: CdB

No último dia de janeiro, o país registrou 27.756 novos casos confirmados de covid-19 no país. O número representa uma continuidade no aumento da transmissão do vírus, que desde 13 de janeiro alcançou o maior índice desde março do ano passado, início da pandemia no Brasil.

Por Redação, com Brasil de Fato – de Brasília

No último dia de janeiro, o país registrou 27.756 novos casos confirmados de covid-19 no país. O número representa uma continuidade no aumento da transmissão do vírus, que desde 13 de janeiro alcançou o maior índice desde março do ano passado, início da pandemia no Brasil.

Vacinas produzidas pelo Instituto Butantan serão incorporadas ao Plano Nacional de Imunização, segundo o Ministério da Saúde

O número de óbitos confirmados foi de 559 nas últimas 24 horas. Apesar de significar uma pequena queda em relação ao período diário anterior, a média móvel de óbitos nos últimos 7 dias segue crescendo. Segundo dados do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), a média de falecimentos pela covid-19 na semana é de 1.067 pessoas.

O Estado de São Paulo segue com maior número de casos. No total são mais de 1 milhão e 600 mil contaminações confirmadas até agora e mais de 51 mil óbitos.

Insumos para vacina

Após entrave na negociação com o governo federal, novos insumos vindos da China para a produção da vacina estão sendo enviados para o Brasil. Segundo comunicação do governo de São Paulo, 5,4 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) da fábrica biofarmacêutica Sinovac Life Sciences já estão no aeroporto de Pequim, na China, e devem chegar nesta quarta-feira.

Os novos insumos permitirão a produção de 8,6 milhões de doses da vacina pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

Coronavírus

É uma vasta família de vírus que provocam enfermidades em humanos e também em animais. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que tais vírus podem ocasionar, em humanos, infecções respiratórias como resfriados, entre eles a chamada “síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS)”.

Também pode provocar afetações mais graves, como é o caso da Síndrome Respiratória Aguda Severa (SRAS). A covid-19, descoberta pela ciência mais recentemente, entre o final de 2019 e o início de 2020, é provocada pelo que se convencionou chamar de “novo coronavírus”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code