Núcleo de Inteligência apoia operações no Rio

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 20 de abril de 2018 as 14:42, por: CdB

O núcleo atende aos pedidos de pesquisa feitos por policiais que estão patrulhando as áreas atendidas pelas ações para confirmar a identidade e verificar a situação legal dos abordados, como, por exemplo, se há pendência judicial ou se responde a algum processo

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro:

Criado há 3 meses, o Núcleo de Inteligência da Secretaria de Governo tem auxiliado as operações Segurança Presente, Barreira Fiscal e Lei Seca com informações rápidas e precisas. O núcleo atende aos pedidos de pesquisa feitos por policiais que estão patrulhando as áreas atendidas pelas ações para confirmar a identidade e verificar a situação legal dos abordados, como, por exemplo, se há pendência judicial ou se responde a algum processo.

Equipe assessora o trabalho de agentes com informações rápidas e precisas

No último mês, o serviço 24 horas já realizou 3.055 consultas e comunicou às equipes sobre a existência de 55 mandados de prisão pendentes. O Núcleo, que atende ações das prefeituras em Niterói e Copacabana; conta com sete agentes, coordenados pela major Fernanda Fonseca da Cunha.

– O policial que está na atividade ostensiva se comunica com o Núcleo para consultar nome e número de documento da pessoa sob suspeição. Aqui, temos acesso aos bancos de dados abertos, como o do Conselho Nacional de Justiça, e aos de fonte fechada; como o Infoseg, cujo acesso é restrito. Entre as informações que podemos passar estão; por exemplo, se o suspeito tem algum mandado de prisão – explicou a major.

O trabalho da inteligência agiliza a ação dos policiais que atuam na rua; com a ajuda do Núcleo eles não precisam, a cada abordagem; levar o suspeito a uma delegacia para levantar seus dados pessoais.

Agentes passam por capacitações

Os agentes que atuam no Núcleo de Inteligência da Secretaria de Governo são treinados para estarem atentos a minúcias; evitando confusões em caso de homônimos e descobrindo detalhes do suspeito; que levam o policial a executar uma revista mais rigorosa.

– Temos conseguido uma adesão muito grande dos policiais das operações. Eles podem ver em aplicativos de celular; mas a informação pode não ser fidedigna. Nossos agentes vêm fazendo cursos de especialização na Secretaria de Segurança para aprimorar ainda mais o trabalho. Dificilmente existirá outra instituição de segurança trabalhando com esse volume de consultas e dados – afirmou a coordenadora do Núcleo de Inteligência, major Fernanda Fonseca da Cunha.

A rapidez e o rigor na apuração de informações fortalecem a credibilidade das operações da Secretaria de Governo. O Núcleo registra todo o processo do trabalho; do início ao fim: os resultados da pessoa pesquisada, a identificação do policial; que a solicitou; a data da consulta e o resultado final do que foi levantado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *