OMS classifica vício de games como distúrbio mental

Arquivado em: Destaque do Dia, Saúde, Últimas Notícias, Vida & Estilo
Publicado terça-feira, 19 de junho de 2018 as 13:21, por: CdB

Nova classificação, que visa ajudar identificação e tratamento de casos, justificaria temores de pais em todo o mundo. Segundo especialistas, percentual de casos patológicos é inferior a 3% dos gamers

Por Redação, com DW – de Londres:

A Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu que a obsessão por vídeo games é classificável como distúrbio mental. A última revisão do manual de classificação de doenças da OMS, que designa problemas de saúde reconhecíveis e diagnosticáveis, descreve a compulsão por jogos eletrônicos como um “padrão de comportamento persistente ou recorrente” podendo se tornar tão intenso que “toma a preferência sobre outros interesses da vida”.

Obsessão com jogos eletrônicos pode “tomar a preferência sobre outros interesses da vida”, alerta OMS

A nova classificação reforça as preocupações de muitos pais com os efeitos do excesso de horas que os jovens passam praticando os jogos eletrônicos, ainda que alguns críticos alertem contra possíveis estigmatizações contra os jogadores.

A OMS alerta que a classificação de “gaming disorders” poderão ajudar os governos, pais e autoridades de saúde a identificar os riscos. A agência de saúde da ONU afirma, porém, que esses casos são muito raros, atingindo menos de 3% dos gamers.

Segundo Shekhar Saxena, diretor do departamento de doenças mentais e abusos de substâncias da OMS, a nova classificação se baseia em evidência científica, alertando para a “necessidade e demanda de tratamento em muitas partes do mundo”.

Enquanto alguns especialistas alertam contra o que consideram um aumento desnecessário das preocupações para os pais, outros defendem a nova classificação, sugerindo tratamento psicológico ou até mesmo o uso de medicamentos.

Obsessão por vídeo games

Mark Griffiths, pesquisador da Universidade Nottingham Trent, que estuda há 30 anos a obsessão por vídeo games, acredita que a nova classificação deva ajudar a legitimar o problema e reforçar as estratégias de tratamento.

– Do ponto de vista psicológico, os vídeos games são um tipo de aposta não financeira – afirmou. “Os apostadores usam o dinheiro como forma de manter um placar, enquanto os gamers usam os pontos.” Em sua opinião, a porcentagem de gamers com problema de compulsão seria de menos de 1%.

O manual Classificação Internacional de Doenças (ICD, na sigla em inglês), que vem sendo atualizado nos últimos 10 anos, inclui 55 mil doenças, lesões e causas de morte. A publicação serve de plataforma para a OMS e outros especialistas registrarem e reagirem a tendências na saúde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *