OMS: ‘nacionalismo da vacina’ irá prolongar pandemia

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 4 de setembro de 2020 as 14:33, por: CdB

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu aos países ao redor do mundo nesta sexta-feira que unam forças para combater o coronavírus, afirmando que o “nacionalismo da vacina” apenas vai retardar a resposta à pandemia.

Por Redação, com Reuters – de Genebra

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu aos países ao redor do mundo nesta sexta-feira que unam forças para combater o coronavírus, afirmando que o “nacionalismo da vacina” apenas vai retardar a resposta à pandemia.

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus
Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus

A aliança de vacinas da OMS e Gavi está liderando um plano global de alocação de vacinas conhecido como Covax, que visa ajudar a comprar e distribuir vacinas de maneira justa.

Mas alguns países que garantiram seu próprio abastecimento por meio de acordos bilaterais, incluindo os Estados Unidos, disseram que não vão aderir ao Covax.

– O nacionalismo da vacina prolongará a pandemia – disse Tedros a repórteres em uma entrevista na sede da OMS em Genebra, sem mencionar nenhum país específico.

Vacina contra covid-19

A cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde disse nesta sexta- feira que nenhuma vacina contra o novo coronavírus deve ser aprovada para distribuição mundial até que seja submetida a análises suficientes para comprovar sua segurança e eficácia.

– Nenhuma vacina será distribuída em massa até que os reguladores estejam confiantes, os governos estejam confiantes e a OMS esteja confiante de que ela atingiu o padrão mínimo de segurança – disse a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, durante um briefing em Genebra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *