ONU alerta que pandemia não freou aquecimento global

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 16 de setembro de 2021 as 13:13, por: CdB

Chefe das Nações Unidas diz que será impossível alcançar meta do Acordo de Paris sem cortes de emissões imediatos e em grande escala. Relatório diz que confinamentos não desaceleraram mudanças climáticas.

Por Redação, com DW – de Nova York

Um relatório sobre as mudanças climáticas divulgado pela ONU nesta quinta-feira alerta que a pandemia de covid-19 não diminuiu o ritmo das mudanças climáticas.

Relatório diz que emissões de CO2 nos setores de energia e indústria já voltaram ao mesmo nível de 2019

A desaceleração econômica e os confinamentos relacionados ao coronavírus causaram apenas uma queda temporária nas emissões de CO2 no ano passado, de acordo com a Organização Meteorológica Mundial (OMM).

– Houve quem pensasse que os lockdowns devido à covid teriam um impacto positivo na atmosfera, mas não foi o caso – disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas, em entrevista coletiva.

O documento reúne os últimos dados científicos e descobertas relacionadas às mudanças climáticas, afirmando que, entre janeiro e julho, as emissões globais de CO2 associadas ao uso de combustíveis fósseis nos setores de energia e indústria já voltaram ao mesmo nível ou estão acima do mesmo período em 2019, antes da pandemia.

O Acordo de Paris sobre mudanças climáticas de 2015 estabeleceu como objetivo limitar o aumento da temperatura global a até 2 °C em relação ao nível pré-industrial, ficando idealmente mais perto de 1,5 °C.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, alertou que essa meta de limitar o aquecimento global a 1,5 °C será impossível sem cortes de emissões imediatos. “Ainda estamos significativamente atrasados para cumprir as metas do Acordo de Paris”, disse.

– A menos que haja reduções imediatas, rápidas e em grande escala nas emissões de gases de efeito estufa, será impossível limitar o aquecimento a 1,5 ºC, com consequências catastróficas para as pessoas e o planeta do qual dependemos – acrescentou o chefe da ONU. “Este é um ano crítico para a ação climática”, disse, avisando que os resultados do estudo trazem uma “avaliação alarmante de quão longe estamos do rumo”.

Intitulado Unidos na Ciência 2021, o relatório foi publicado por várias agências da ONU e parceiros científicos poucas semanas antes da reunião de cúpula do clima COP26. O texto alerta também que a mudança climática e seus impactos estão acelerando.

Pausa pandêmica foi breve

A OMM disse que as reduções de emissões durante a primeira onda de covid-19, no início do ano passado, representaram um “breve lapso”.

“As reduções gerais de emissões em 2020 provavelmente reduziram o aumento anual das concentrações atmosféricas de gases de efeito estufa de longa duração, mas esse efeito foi muito pequeno para ser distinguido da variabilidade natural”, concluiu o relatório.

Neste ano, embora as emissões de CO2 provenientes do tráfego rodoviário tenham ficado abaixo dos níveis anteriores à pandemia, as concentrações dos principais gases de efeito estufa que contribuem para o aquecimento global continuaram a aumentar, de acordo com o relatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code