ONU deve ter “papel central” no Iraque, dizem líderes da oposição

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado sexta-feira, 11 de abril de 2003 as 18:45, por: CdB

A Rússia, França e Alemanha, líderes da oposição à intervenção militar lançada por Washington no Iraque, insistiram nesta sexta-feira, depois de uma primeira reunião de cúpula, em São Petersburgo, no “papel central” que a ONU deveria cumprir no pós-guerra.

“Depois da queda de Saddam Hussein entramos em uma nova fase”, afirmou o presidente francês, Jacques Chirac, depois de se reunir com seus colegas russo, Vladimir Putin, e alemão, Gerhard Schroeder.

A ONU deve “ter um papel central” na reconstrução do Iraque, disse Chirac, para quem somente as Nações Unidas têm “a legitimidade necessária” para o caso.

O presidente Putin afirmou que a Rússia está “disposta a discutir o cancelamento da dívida do Iraque”, e insistiu, por sua vez, no papel “único” das Nações Unidas para resolver os problemas internacionais.

Enquanto isso, o chanceler alemão Gerhard Schroeder afirmou que toda a comunidade internacional, inclusive a coalizão encabeçada pelos Estados Unidos, deveria aceitar “a égide” da ONU no processo de reconstrução do Iraque.

“A vitória militar (dos Estados Unidos) é incontestável”, mas o que faz falta agora é obter “uma vitória duradoura para os iraquianos e para toda a região”, precisou Schroeder.

O objetivo da coalizão “não foi alcançado”, destacou Putin. “O único objetivo legítimo deveria ter sido o desarmamento, mas nada foi encontrado e, inclusive agonizante, o regime de Hussein não utilizou armas de destruição em massa”.

A reunião dos três líderes durou cerca de uma hora e as discussões continuam até este sábado.