ONU diz que combates continuam em Ghouta Oriental

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 27 de fevereiro de 2018 as 12:37, por: CdB

O grupo de monitoramento Observatório Sírio dos Direitos Humanos, com sede no Reino Unido, disse que helicópteros lançaram duas bombas em uma cidade no enclave

Por Redação, com Reuters – de Beirute/Genebra:

Combates foram registrados no distrito sírio de Ghouta nesta terça-feira, disse a Organização das Nações Unidas (ONU), apesar de um cessar-fogo de cinco horas convocado pela Rússia, aliada do presidente da Síria, Bashar al-Assad.

Carros e prédios danificados são vistos na cidade de Douma, em Ghouta Oriental, na Síria

– Temos relatos nesta manhã de que houve combates contínuos no leste de Ghouta – disse o porta-voz humanitário da ONU, Jens Laerke; a repórteres em Genebra. “Claramente a situação no terreno não permite que comboios possam ir ou que retiradas médicas possam ocorrer”.

O grupo de monitoramento Observatório Sírio dos Direitos Humanos; com sede no Reino Unido, disse que helicópteros lançaram duas bombas em uma cidade no enclave; e que um avião de combate atingiu outra cidade durante o período de trégua. Uma fonte militar síria negou que tenham ocorrido ataques aéreos.

À agência inglesa de notícias Reuters não foi capaz de verificar de imediato ambos os relatos.

Centenas de pessoas morreram durante 10 dias de bombardeios do governo sírio sobre Ghouta; uma região controlada por rebeldes com pequenas cidades e fazendas nos arredores de Damasco. 

O ataque representa uma das campanhas aéreas mais devastadoras de uma guerra que está ingressando em seu oitavo ano.

Trégua

A Rússia convocou uma trégua de cinco horas no enclave durante esta terça-feira para permitir uma rota segura; para a retirada de feridos e de civis. Moscou e Damasco acusaram rebeldes de atacaram seu corredor humanitário estabelecido; para permitir a saída dos civis. Rebeldes negaram a acusação.

Ghouta Oriental estava aparentemente calma após a entrada em vigor da trégua às 9h da manhã (horário local); segundo o Observatório e moradores, apesar de a televisão estatal ter afirmado que insurgentes tinham atacado a rota de retirada.

A região, onde vivem cerca de 400 mil pessoas, segundo a ONU, é o principal alvo de Assad; cujas forças já recuperaram diversas áreas com o apoio militar da Rússia e do Irã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *