ONU impõe imediato embargo de armas à Costa do Marfim

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado terça-feira, 16 de novembro de 2004 as 02:33, por: CdB

O Conselho de Segurança das Nações Unidas impôs, após votação, um embargo de armas contra a Costa do Marfim e votou por sanções adicionais a líderes do governo e das forças rebeldes. O texto da resolução aprovada contém sanções imediatas, como a proibição de introduzir armas no país, e outras que demorarão um mês para entrar em vigor, até 15 de dezembro, caso o conflito ainda não esteja resolvido.

Entres estas medidas estão o bloqueio de contas e a limitação do movimento de determinados indivíduos, suspeitos de atuar contra o processo de paz e de estar incentivando mensagens de ódio contra os estrangeiros.

Na Costa do Marfim há mais de dez mil efetivos que integram unidades francesas e os “capacetes azuis” da ONU, encarregados de vigiar os conflitos entre os grupos. O presidente Laurent Gbagbo ordenou um ataque contra os rebeldes do país e o Exército atacou por engano um posto das forças de paz destacadas no país, o que causou a morte de nove soldados franceses e um civil missionário americano.

Depois do incidente, a França reagiu destruindo aeronaves da Costa do Marfim e ocupando o aeroporto internacional de Abdijan, o que deflagrou uma onda de protestos populares contra a presença de franceses e o restante dos estrangeiros na região.