ONU lamenta restrições dos Estados Unidos a pedidos de asilo

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 13 de setembro de 2019 as 13:24, por: CdB

Todas as pessoas precisam ter acesso a procedimentos de asilo e a proteção internacional, disse Andrej Mahecic, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

Por Redação, com Reuters – de Genebra

A agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU) disse nesta sexta-feira que uma decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos para reduzir os pedidos de asilo na fronteira com o México pode prejudicar pessoas fugindo da violência e da perseguição que têm direito a proteção.

Acampamento para imigrantes venezuelanos em Maicao, na Colômbia

O tribunal disse na quarta-feira que a regra do governo Trump, que obriga a maioria dos imigrantes a caminho dos EUA a buscarem asilo em outros países, pode entrar em vigor, apesar de os litígios que contestam sua legalidade estarem em andamento.

Todas as pessoas precisam ter acesso a procedimentos de asilo e a proteção internacional, disse Andrej Mahecic, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur), em um boletim à imprensa.

– Lamentamos o impacto que a implantação terá sobre os postulantes a asilo. Reiteramos que qualquer pessoa fugindo da violência e da perseguição deve poder ter acesso a procedimentos plenos e eficientes de asilo e a proteção internacional – disse Mahecic.

Centro-americanos

A agência está preocupada com o destino de centro-americanos, inclusive famílias e crianças desacompanhadas, que estão em jornadas necessitando de abrigo, disse.

“É imperativo que estas pessoas sejam identificadas rapidamente e beneficiadas com a segurança e a assistência que precisam e merecem, incluindo o direito de pedir asilo”.

Indagado se o veredicto e a diretriz violam a Convenção de Refugiados de 1951, que os EUA ratificaram, Mahecic respondeu que a Suprema Corte não tratou da substância da diretriz enquanto aguarda procedimentos de instâncias inferiores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *