Operação Aplique: PF prende traficante internacional de drogas 

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, São Paulo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 23 de abril de 2019 as 13:15, por: CdB

As pessoas que transportavam drogas eram enviadas para o exterior por meio do Aeroporto Internacional de Guarulhos e transportavam, em média, entre 30 e 40 kg de cocaína.

Por Redação, com ABr – de São Paulo

A Polícia Federal prendeu nesta terça-feira como parte da Operação Aplique, uma pessoa que faz parte de um grupo que atuava no tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro. Outros 14 mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo e Campo Grande (MS). O preso já estava sendo monitorado e investigado desde julho de 2017 por ter enviado mulas (pessoas que transportam drogas) com cocaína para Portugal.

PF prende traficante internacional de drogas durante Operação Aplique

Segundo o delegado regional de investigação e combate a crime organizado da Polícia Federal, Marcelo Ivo de Carvalho, foram notadas coincidências entre remessas apreendidas e o envio dessas pessoas ao exterior. “A partir das investigações, descobrimos que essas mulas eram entregues em um apartamento em São Paulo. A partir da coleta de imagens, em locais onde foram feitas reuniões com essas mulas, identificamos o alvo da operação”.

As pessoas que transportavam drogas eram enviadas para o exterior por meio do Aeroporto Internacional de Guarulhos e transportavam, em média, entre 30 e 40 kg de cocaína. “As mulas tinham características semelhantes, as drogas eram embaladas da mesma forma”. Entre o grupo havia estrangeiros de nacionalidade boliviana e espanhola, um deles com condenação por tráfico de drogas, na Bolívia, e outro com mandado de prisão expedido pela Espanha.

O alvo foi preso em casa, porque havia um temor da PF de que ele fugisse do país. “A intenção era deflagar a operação de forma conjunta, mas em virtude dessa possibilidade de fuga, ele acabou sendo preso antes. Essa investigação acabou cruzando com a outra que era desempenhada pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes, que acabou sendo usada para confirmar a lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas”.

De acordo com o responsável pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes da PF, Luiz Carlos Ratto Tempestini, foi feita um investigação paralela com relação à lavagem do dinheiro, na qual constatou-se movimentação financeira acima do declarado e incompatível com a atividade.

– A movimentação financeira da conta corrente foi de R$ 30 milhões em um ano e meio. A lavagem era feita por meio de salões de beleza e empresas de outros ramos.

Todos os bens em nome do preso foram sequestrados pela Justiça, ou seja, ficam indisponíveis para o titular e, posteriormente, são revertidos para a União.

Menino atropelado

O menino de 5 anos que morreu após ser atropelado durante uma perseguição policial na Zona Leste de São Paulo, foi enterrado na segunda-feira, na capital paulista. A mãe da criança,Thayana dos Santos Silva, de 25 anos, passou por uma cirurgia e continua internada em estado grave no Hospital Santa Marcelina. Leandro dos Santos e sua mãe estavam na esquina da Rua Bela Vista do Sul, no Aricanduva, quando foram atropelados.

Segundo as informações a Secretaria de Segurança Pública do estado de São Paulo (SSP), a perseguição começou depois de um assalto a uma padaria na Rua Miguel Bastos Soares, que fica a 500 metros do local do acidente.

Os criminosos, armados com pistolas, assaltaram a padaria por volta de 19h e fugiram em um carro, quando os policiais militares foram acionados e começaram a perseguição. Eles dirigiam em alta velocidade quando entraram na rua onde estavam Thayana e Leandro.

O polícial militar que dirigia a viatura perdeu o controle e atingiu um poste. Os criminosos conseguiram escapar.

Por meio de nota, a SSP informou que todas as circunstâncias estão sendo apuradas por meio de inquéritos instaurados pela Polícia Militar e também pelo 41° Distrito Policial (Vila Rica), responsável pela área. “Os policiais envolvidos receberão acompanhamento psicológico. Eles retornarão às atividades operacionais após avaliação”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *