Operação combate facções criminosas em 14 Estados e DF

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 4 de dezembro de 2018 as 12:47, por: CdB

Durante as buscas, que aconteceram em Santo Antônio do Descoberto, cidade goiana no Entorno do DF, foram apreendidos telefones celulares, anotações e cadastros ligados à facção criminosa.

Por Redação, com ABr – de Brasília

O Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas (Gncoc) deflagrou na manhã desta terça-feira uma grande operação de combate a integrantes de facções criminosas em 14 estados e no Distrito Federal (DF).

Operação do Gncoc combate facções criminosas em 14 estados e no DF

As diligências estão sendo realizadas nos Estados do Acre, de Alagoas, do Espírito Santo, de Goiás, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, da Paraíba, do Paraná, Rio de Janeiro, de Roraima, do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, São Paulo, do Tocantins e no DF.

As ações envolvem 10 Grupos de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaecos) do Ministério Público brasileiro. Os policiais civis estão cumprindo 266 mandados de prisão e 203 de busca e apreensão.

No DF, a operação foi coordenada pelo Núcleo de Controle e Fiscalização do Sistema Prisional. Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão e de prisão contra integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Durante as buscas, que aconteceram em Santo Antônio do Descoberto, cidade goiana no Entorno do DF, foram apreendidos telefones celulares, anotações e cadastros ligados à facção criminosa.

No Tocantins, foi realizada inspeção na Casa de Prisão Provisória de Palmas, para apreender armas, drogas, explosivos, aparelhos de comunicação móvel e cadastros de integrantes das facções.

Em todo o país, os alvos são integrantes da facções criminosas, entre elas, o PCC, Comando Vermelho (CV), Terceiro Comando Puro (TCP), Amigo dos Amigos (Ada), Primeiro Comando de Vitória (PCV) e a paraibana Okaida RB.

O Gncoc foi criado em fevereiro de 2002, por iniciativa do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais dos Ministérios Públicos dos Estados e da União (CNPG), para combater o crime organizado em todo o país.

Fraudes bancárias eletrônicas

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira operação para desarticular uma associação criminosa especializada na prática de fraudes bancárias eletrônicas via internet banking. Estão sendo cumpridos, ao todo, 12 mandados de busca e apreensão, além de quatro prisões preventivas nos estados do Pará, Tocantins, de Goiás e no Distrito Federal.

De acordo com a corporação, o grupo atuava desde 2012 na prática de diversos furtos qualificados mediante fraude. O montante dos prejuízos causados, rastreados e catalogados, até o momento, já ultrapassa R$ 800 mil. A Justiça Federal decretou a indisponibilidade de bens e valores dos investigados, além do sequestro de automóveis de luxo.

– Usando-se da rede mundial de computadores, os suspeitos subtraíam valores de centenas de contas bancárias da Caixa Econômica Federal, do Bradesco, Itaú, dentre outras instituições financeiras – informou a PF, por meio de nota. O grupo se fazia passar por instituições financeiras, criando páginas idênticas às dos bancos para obter informações pessoais e senhas bancárias das vítimas por meio de programas de captura de dados.

– De posse das informações bancárias, furtavam o dinheiro desses clientes, via internet – completou a corporação, destacando que, durante o cumprimento das medidas judiciais, os policiais terão acesso às máquinas usadas pelos criminosos e poderão rastrear novas operações, detectando prejuízos que podem chegar a R$ 8 milhões.

O nome da operação, BR 153, foi escolhido por ser essa a principal via que liga os estados envolvidos na ação policial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *