Operação investiga desvios de R$ 140 milhões do SUS no Amazonas

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 11 de outubro de 2018 as 11:37, por: CdB

Os investigados devem responder pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e ativa, contra a ordem tributária e lavagem de dinheiro.

Por Redação, com ABr – de Brasília

A Polícia Federal (PF), com o apoio do Ministério da Transparência (CGU), deflagrou nesta quinta-feira a Operação Cashback para investigar fraudes que desviaram mais de R$ 140 milhões do Sistema Único de Saúde (SUS) no Amazonas. Segundo a PF, a Cashback é a quarta fase da Operação Maus Caminhos, deflagrada em 2016.

PF investiga desvios de R$ 140 milhões do SUS no Amazonas

– Com o avanço das apurações, foram identificados novos fatos e prejuízos referentes à prática do retorno do dinheiro pago às empresas fornecedoras de produtos e serviços do Instituto Novos Caminhos (INC) ao líder da organização criminosa, para que fosse redistribuído a título de propina aos agentes públicos e políticos – diz a nota da CGU.

Os policiais cumpriram de 16 mandados de prisão temporária e 40 de busca e apreensão endereços nas cidades de Manaus e São Paulo. Os investigados devem responder pelos crimes de organização criminosa, corrupção passiva e ativa, contra a ordem tributária e lavagem de dinheiro.

Além de 150 policiais federais, as ações contaram com a participação de oito auditores da CGU e 20 auditores da Receita Federal. Um dos alves da operação foi um empresário que atua na área de equipamentos hospitalares.

Operação Estado de Emergência

Na terceira fase da Maus Caminhos, chamada de Operação Estado de Emergência, deflagrada em dezembro de 2017, a PF cumpriu mandado de prisão temporário do ex-governador José Melo. O ex-governador foi acusado de integrar um esquema criminoso que desviava recursos públicos da área da saúde.

Ação conjunta

A Polícia Civil do Distrito Federal e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) deflagraram na quarta-feira uma operação integrada de combate a crimes de tráfico de drogas, roubo, furto e desvio de cargas na capital federal e em seis estados: Bahia, Goiás, Mato Grosso, Paraná, Pernambuco e Santa Catarina.

Cinquenta e sete mandados de busca e apreensão e 48 de prisão estão sendo cumpridos em 15 diferentes cidades, com o apoio das forças de segurança dos estados, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Receita Federal e Força Aérea Brasileira (FAB). Além de 300 policiais, são empregados dois helicópteros, aviões (incluindo duas aeronaves da FAB), um ônibus e 60 viaturas policiais.

Denominada Torre de Babel, a operação é um desdobramento de outras duas investigações da Polícia Civil do Distrito Federal que já resultaram na deflagração das operações Porto Seco, contra o roubo e furto de cargas, e Ilha da Fantasia, contra o tráfico de drogas. Toda a operação é monitorada pelo Centro Integrado de Comando e Controle Nacional, da Senasp.

Segundo a Polícia Civil, a organização criminosa interestadual vem sendo investigada há nove meses pela Divisão de Repressão ao Crime Organizado. Detalhes como os nomes de investigados e o balanço dos bens apreendidos só serão divulgados amanhã (11), pela Polícia Civil do Distrito Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *