Operação investiga participação de militares no comércio ilegal de armas

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 23 de março de 2018 as 13:55, por: CdB

De acordo com a PCDF, já foram cumpridos 21 mandados de prisão temporária, além de diversos mandados de busca e apreensão

Por Redação, com ABr – de Brasília:

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) deflagrou nesta sexta-feira a Operação Shooter com o objetivo de desarticular uma associação criminosa que praticava comércio ilegal de armas de fogo e munições.

Operação Shooter investiga participação de militares no comércio ilegal de armas

De acordo com a PCDF, já foram cumpridos 21 mandados de prisão temporária, além de diversos mandados de busca e apreensão.

Armas

Seis pessoas foram presas em flagrante. Entre as armas apreendidas há três pistolas, um rifle e um revólver. Os policiais apreenderam também munições de vários calibres. Por meio de nota a PCDF informou que a ação contou com a participação de 180 policiais civis e que a investigação já durava 50 dias.

Uma coletiva de imprensa, na qual as autoridades responsáveis pela investigação falaram sobre a participação de militares e ex-militares do Exército e da Aeronáutica que integram a associação criminosa.

Tráfico internacional de drogas

Um grupo criminoso responsável por tráfico internacional de drogas foi desarticulado nesta sexta-feira pela Polícia Federal (PF); após investigações iniciadas em abril de 2016. Nesse período, segundo a PF, cinco pessoas foram presas em flagrante e foram apreendidos 162 quilos (kg) de cocaína; 32 kg de crack e 154 kg de maconha. Os policiais recolheram ainda uma pistola 9 milímetros.

As investigações conduzidas pela Operação Jacutinga apuraram que os suspeitos traziam; pela tríplice fronteira com Paraguai e Argentina, as drogas para o Brasil e as enviavam para os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. O nome da operação é uma referência a uma ave típica da região rural de São Miguel do Iguaçu; cidade vizinha a Foz do Iguaçu, no Paraná; onde os investigados são baseados e têm uma chácara.

O grupo investigado, formado por três pessoas da mesma família; “transportava a droga em compartimentos previamente preparados na lataria dos veículos; como no teto e nos para-lamas”. Estão sendo cumpridos oito mandados de prisão e oito de busca e apreensão

As ações ocorrem em endereços nas cidades de Foz do Iguaçu, São Miguel do Iguaçu e Cascavel, no Paraná. Além do grupo principal, as investigações identificaram um núcleo secundário; envolvido em uma apreensão de 40 kg de maconha na cidade de Cascavel, ocorrida em abril do ano passado; quando uma pessoa foi presa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *