Operação mira quadrilha que adulterava bombas de postos de combustíveis no Rio

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 29 de junho de 2021 as 13:47, por: CdB

Policiais civis da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) desencadearam, nesta terça-feira, a operação “Fraude na Bomba” para cumprir mandados de busca e apreensão em escritórios de empresas investigadas por instalar microchips em bombas de gasolina para fraudar o consumidor.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

Policiais civis da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) desencadearam, nesta terça-feira, a operação “Fraude na Bomba” para cumprir mandados de busca e apreensão em escritórios de empresas investigadas por instalar microchips em bombas de gasolina para fraudar o consumidor. Segundo as investigações, por meio do golpe, os veículos deixavam de abastecer entre 7% e 15% do valor mostrado, lesando os clientes.

Polícia Civil cumpre mandados de busca e apreensão contra acusados de fraudar bombas em postos de combustíveis

Um dos empresários alvos da ação é conhecido como “71” ou “Rei do Chip”. Ele e seu filho são sócios de uma empresa de informática especializada na fabricação e instalação de chips para adulterar bombas de combustíveis. Por meio do golpe, os acusados aumentavam o lucro do posto e, também, praticavam outros delitos, como sonegação fiscal e crime contra as relações de consumo.

A investigação apontou, ainda, que o lucro dos empresários com a instalação desse mecanismo possibilitou a compra de carros de luxo e que os mesmos entrassem no ramo dos postos de combustíveis. Eles teriam comprado postos em Irajá, na Zona Norte da capital; em Resende, no Sul Fluminense; e Angra dos Reis, Região da Costa Verde. Os dois chegaram a negociar um posto no valor de R$ 1,8 milhão.

Com o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, o objetivo é obter novas provas que apontem o envolvimento dos investigados e a participação de postos envolvidos nesse esquema criminoso.

Operação contra traficantes

Policiais civis da 146ª DP (Guarus) e militares realizaram, nesta terça-feira, uma nova fase da Operação Refrenata, voltada para conter os índices de criminalidade em Guarus, no município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. O objetivo era cumprir sete mandados de prisão contra acusados por homicídio e associação para o tráfico. Todos os alvos foram capturados.

A ação concentrou esforços no bairro Parque Prazeres, onde ocorreram confrontos entre células de narcotraficantes rivais nas últimas semanas. Durante esse episódio, morreu o principal líder do tráfico na região.

Os mandados foram obtidos a partir de investigação da 146ª DP, que permitiu identificar todos os envolvidos num ataque realizado às lideranças do local, há dez dias. Na ocasião, houve intensa troca de tiros, com presença de crianças e famílias.

Em uma etapa anterior da Operação Refrenata, realizada em julho do ano passado, três pessoas foram presas. Elas também eram acusadas de homicídio e associação para o tráfico.

Violência doméstica

Policiais civis da 62ª DP (Imbariê) prenderam em flagrante, na segunda-feira, uma mulher suspeita de atear fogo na casa do ex-companheiro. Ela foi capturada no bairro de Parque Paulista, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, após monitoramento do setor de inteligência.

Segundo os agentes, o fato teria sido ocasionado por ciúmes, pois a autora viu o ex-companheiro com outra mulher. O incêndio foi controlado por vizinhos, que agiram imediatamente para apagar o fogo.

De acordo com a 62ª DP, a mulher responderá pelo crime de incêndio. Ela foi encaminhada ao sistema prisional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code