Operação desarticula organização criminosa na Baixada Fluminense

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de dezembro de 2019 as 13:50, por: CdB

A quadrilha atua especificamente nos bairros de Miguel Couto e Genenciano, em Nova Iguaçu, extorquindo moradores e explorando serviços clandestinos de água, gás e TV a cabo.

Por Redação, com ACS – de Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol), por meio da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), realiza, na manhã desta terça-feira, uma operação para desarticular uma organização criminosa de milícia apontada como responsável pela prática de diversos homicídios no município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

A ação tem como objetivo cumprir 68 mandados de busca e apreensão contra a quadrilha
A ação tem como objetivo cumprir 68 mandados de busca e apreensão contra a quadrilha

A ação tem como objetivo cumprir 68 mandados de busca e apreensão contra a quadrilha. Até o momento três pessoas foram presas em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e cinco armas foram apreendidas.

De acordo com as investigações, o bando é chefiado pelo miliciano Mário Barbosa Marques Júnior, conhecido como Van Damme.

A quadrilha atua especificamente nos bairros de Miguel Couto e Genenciano, em Nova Iguaçu, extorquindo moradores e explorando serviços clandestinos de água, gás e TV a cabo.

A quadrilha

A investigação apontou ainda que o grupo criminoso é responsável por diversos homicídios, sequestros e ocultações de cadáveres, na Baixada Fluminense.

No início desse ano, a DHBF chegou a localizar cemitérios clandestinos da milícia chefiada por Van Damme. As investigações estão em andamento para identificar os corpos e prender todos os integrantes da quadrilha.

Roubo

Policiais da 14ª DP (Leblon) prenderam, no domingo, Margarete de Oliveira Gomes, de 41 anos, pelo crime de roubo. Segundo os agentes, ela foi capturada na Rodoviária Novo-Rio ao tentar embarcar com a família para o litoral de São Paulo levando cerca de US$ 500, 500 euros e 200 libras esterlinas roubados da casa em que trabalhava como empregada doméstica na Gávea, na Zona Sul.

De acordo com o delegado titular da 14ª DP (Leblon), Antenor Lopes Martins Júnior, ela trabalhava desde julho na residência e teria pego o dinheiro na última sexta-feira.

Na delegacia, Margarete disse ter trocado as moedas por reais em uma casa de câmbio em Copacabana. Ela possui antecedentes por porte ilegal de arma e corrupção de menores. O marido dela, Vilmar Pinheiro dos Santos, foi preso em flagrante com um telefone celular roubado. Ele também possui anotações por ameaça, lesão corporal, desacato e furto a turista.

As investigações continuam na 14ª DP para localizar outras vítimas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *