Operação busca prender acusados de integrar milícia no Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 9 de julho de 2020 as 13:02, por: CdB

O Ministério Público (MP) e a Polícia Civil cumpriram nesta quinta-feira mandados de prisão preventiva contra 16 acusados de integrar uma milícia que atua na região de Vargem Grande, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

O Ministério Público (MP) e a Polícia Civil cumpriram nesta quinta-feira mandados de prisão preventiva contra 16 acusados de integrar uma milícia que atua na região de Vargem Grande, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro. Entre os denunciados pelo MP na operação, chamada Porto Firme, estão dois policiais militares.

Mandados de prisão são cumpridos pelo MP e a Polícia Civil
Mandados de prisão são cumpridos pelo MP e a Polícia Civil

Também estão sendo cumpridos 51 mandados de busca e apreensão em endereços ligados à organização criminosa. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Especializada da Capital.

A investigação começou com a apuração do assassinato de Marcus Vinícius Calixto, em 2018, por contrariar interesses do grupo criminoso, que seria liderado pelo oficial da Polícia Militar Leonardo Magalhães Gomes da Silva, também conhecido como “Capitão”, de acordo com o MP.

Proteção do grupo

Outro policial militar, o cabo Fernando Mendes Alves, conhecido como “Biro”, era responsável por garantir a proteção dos demais membros do grupo, sem que forças externas os incomodassem, inclusive intervindo em ações da Polícia Civil.

A denúncia oferecida pelo MP à Justiça afirma que a milícia atua com extrema violência e emprego de armas de fogo, recorrendo inclusive a homicídios, como o de Marcus Vinícius.

Bingo clandestino

Agentes da 72ª DP (São Gonçalo), após informações de denúncia anônima , estouraram um Bingo clandestino que funcionava na Rua Moisés Mata, Bairro Brasilândia, em São Gonçalo. Foi apreendido vasto material utilizado na prática do jogo de azar.

De acordo com os agentes, o responsável pelo local, que possuí outras dez passagens pela mesma conduta, foi conduzido a sede policial e devidamente autuado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *