Organização de Roland Garros usa funcionários para preencher cadeiras vazias 

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado domingo, 9 de junho de 2019 as 13:19, por: CdB

Os organizadores disseram neste domingo que consideram implementar um sistema de “overbooking” similar a utilizado por companhias aéreas e hotéis para garantir que as cadeiras fiquem ocupadas.

Por Redação, com Reuters – de Paris

Os organizadores do Aberto da França pediram que funcionários preenchessem assentos corporativos vazios durante a semifinal masculina e o início da final feminina no sábado, orientando que fossem “discretos” e retirassem seus crachás ao sentar, apurou a agência inglesa de notícias Reuters neste domingo.

Organização de Roland Garros usa funcionários para preencher cadeiras vazias em quadra principal

Cadeiras e boxes reservados para autoridades e executivos de patrocinadores com frequência ficam vazios em torno da hora do almoço na Philippe Chatrier, quadra principal de Roland Garros, já que os agraciados com as cortesias preferem aproveitar os comes e bebes em vez do tênis.

O estádio não estava cheio, por exemplo, quando Rafael Nadal, 11 vezes campeão de Roland Garros, e Roger Federer, 20 vezes vencedor de torneios de Grand Slam, começaram a jogar na semifinal de sexta-feira.

Os organizadores disseram neste domingo que consideram implementar um sistema de “overbooking” similar a utilizado por companhias aéreas e hotéis para garantir que as cadeiras fiquem ocupadas.

No sábado, porém, a Federação Francesa de Tênis (FFT) ofereceu a seus funcionários a chance de assistir à partida nos boxes desocupados.

– Por causa das mudanças no cronograma para amanhã, 8 de junho, a organização do torneio tem o prazer de autorizar os funcionários da FFT (crachás pretos e cinzas) e seus particulares (crachá branco com listras pretas) a acessarem os boxes a partir das 12h para assistir ao fim da semifinal masculina e ao início da final feminina – disse a FFT em um email a seus funcionários ao qual a Reuters teve acesso.

O comunicado afirma que regras devem ser respeitadas pelos funcionários, orientando ainda que eles sejam discretos e retirem os crachás.

Também foi pedido aos funcionários convidados que não revelassem a medida em suas redes sociais.

A FFT não comentou de imediato ao ser contatada pela Reuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *