Padres evitam comunhão do cálice em Jerusalém por medo do coronavírus

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020 as 14:26, por: CdB

O Patriarcado Latino de Jerusalém anunciou as medidas na quinta-feira, pouco após o início da Quaresma, o período de 40 dias que culmina na Páscoa.

Por Redação, com Reuters – de Jerusalém

Autoridades católicas de Jerusalém instruíram seus padres a darem comunhão só com a mão, ao invés de colocar hóstias nas línguas dos fiéis, e a esvaziarem as pias de água benta como precauções contra a disseminação do coronavírus.

As diretrizes incluem “receber a comunhão só com a mão” e evitar “que o fiel receba a comunhão do cálice”
As diretrizes incluem “receber a comunhão só com a mão” e evitar “que o fiel receba a comunhão do cálice”

O Patriarcado Latino de Jerusalém anunciou as medidas na quinta-feira, pouco após o início da Quaresma, o período de 40 dias que culmina na Páscoa. Milhões de peregrinos frequentam Jerusalém e outras cidades sagradas, como Nazaré e Belém, todos os anos.

O arcebispo Pierbattista Pizzaballa, o administrador apostólico do Vaticano, disse em um comunicado que a Terra Santa tem uma “situação única” por causa de seus muitos visitantes.

As diretrizes incluem “receber a comunhão só com a mão” e evitar “que o fiel receba a comunhão do cálice”.

Cerimônia da comunhão

Na cerimônia da comunhão, os fiéis recebem a hóstia e muitas vezes bebem um gole de vinho, ou mergulham a hóstia no vinho do cálice antes de engoli-la.

Os católicos acreditam que a hóstia e o vinho se tornam o corpo e o sangue de Jesus Cristo depois de serem consagrados por um padre.

O comunicado de Pizzaballa também ofereceu a “sugestão preventiva” de esvaziar as pias de água benta, normalmente feitas de metal ou pedra e muitas vezes instaladas na entrada de uma igreja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *