O país está às voltas com risco de uma conflagração, alerta economista

Arquivado em: Política, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 23 de março de 2020 as 17:15, por: CdB

O negacionismo de Bolsonaro na pandemia, com a mesma lógica da negação das mudanças climáticas, tem efeitos políticos nefastos para o líder da extrema-direita.

Por Redação – de São Paulo

Para o economista e filósofo Eduardo Giannetti da Fonseca, o país poderá “ter uma situação de privação material gravíssima. A próxima onda de descontentamento já está começando a se erguer”. O renomado intelectual, ligado à centro-direita, vai mais longe na sua previsão de uma possível desestabilização social do país. Segundo afirmou, em entrevista publicada nesta segunda-feira no diário conservador paulistano Folha de S. Paulo, a destruição do tecido social, no Brasil, ocorre de forma acelerada.

Giannetti fez o programa econômico de governo da candidata Marina Silva, nas eleições de 2018
Giannetti fez o programa econômico de governo da candidata Marina Silva, nas eleições de 2018

A avaliação de Gianetti sobre Bolsonaro converge com dos países europeus e a China.

— Se esta crise tiver como efeito colateral a corrosão, a destruição e a redução a pó dessa direita populista, ela não terá sido totalmente perdida. Lideranças desse tipo colocam em risco à humanidade — afirmou.

Equívoco

O negacionismo de Bolsonaro na pandemia, com a mesma lógica da negação das mudanças climáticas, tem efeitos políticos nefastos para o líder da extrema-direita.

— É uma postura negacionista igualzinha à que eles têm em relação à mudança climática, o mesmo menosprezo pela ciência. Mas com uma diferença: a temporalidade da pandemia não é a mesma da mudança climática. Houve uma perda, possivelmente irreparável, de capital político pelo equívoco cometido diante da crise atual — conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *