Palestinos assumem Belém

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 2 de julho de 2003 as 13:25, por: CdB

A retirada israelense segue o plano de paz patrocinado pelos Estados Unidos, segundo o qual tropas israelenses devem recuar para posições que mantinham antes do levante palestino que começou em setembro de 2000.

Nesta quarta-feira, membros da força de segurança da Autoridade Palestina já foram vistos patrulhando o centro da cidade e a região onde fica a Igreja da Natividade, suposto local do nascimento de Cristo.

No domingo, Israel cedeu controle sobre área dentro da Faixa de Gaza depois que importantes grupos militantes palestinos declararam um cessar-fogo.

Gaza

Na terça-feira, os primeiros ministros palestino, Mahmoud Abbas (também conhecido como Abu Mazen) e israelense, Ariel Sharon, se encontraram para confirmar que o empenho pelo plano de paz continua.

Mas muitos moradores de Belém vêem essa transferência como um pequeno passo, de acordo com Barbara Plett, correspondente da BBC.

Segundo ela, os moradores ainda não têm liberdade para se movimentar fora de Belém e estão preocupados com a construção de uma barreira que separa a cidade de Jerusalém e confisca terra palestina.

Em sua aparição altamente simbólica na terça-feira, Sharon e Abbas – também conhecido como Abu Mazen – apertaram as mãos entusiasticamente e disseram que seus povos não tinham inimizade fundamental.

O encontro mais público entre os dois desde que Abu Mazen assumiu o cargo no fim de abril não incluiu bandeiras palestinas ou israelenses, mas mostrou alguns ministros dos dois lados conversando de forma amigável.

Violência esporádica

Houve incidentes esporádicos de violência nas 48 horas antes do início do encontro, na tarde de terça-feira, mas o tênue cessar-fogo entre os dois lados parece estar se mantendo.

Antes do encontro de terça-feira, Sharon reiterou sua promessa de fazer concessões dolorosas para alcançar a paz, mas alertou que sua responsabilidade primária é com a segurança de seu povo.

Abu Mazen disse que, por meio de diálogo, os dois lados poderiam deixar o passado para trás.