Papa apela aos governantes do mundo para combater o tráfico de pessoas

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado domingo, 10 de fevereiro de 2019 as 17:28, por: CdB

“Eu apelo, particularmente aos governos, para que as causas desse flagelo sejam enfrentadas com decisão e as vítimas sejam protegidas”, disse o papa Francisco.

 

Por Redação, com Ansa – de Roma e São Paulo

 

O papa Francisco instou os governos a tomarem ações definitivas contra o tráfico internacional de pessoas, um negócio que movimento US$ 150 bilhões ao ano e aflige milhões de pessoas tratadas como escravas modernas. O papa falava a milhares de pessoas na praça São Pedro dois dias depois da igreja católica ter marcado um dia de prece e consciência sobre o tráfico humano.

papa Francisco pede que haja um firme combate ao tráfico humano, ao redor do mundo
papa Francisco pede que haja um firme combate ao tráfico humano, ao redor do mundo

— Eu apelo, particularmente aos governos, para que as causas desse flagelo sejam enfrentadas com decisão e as vítimas sejam protegidas — disse Francisco.

Imigração

A estimativa mundial é de que 45,8 milhões de pessoas vivam em alguma forma de escravidão, de acordo com o Índice de Escravidão Global 2016 da Fundação Walk Free.

A imigração se tornou um tema dominante e altamente politizado na Europa, com mais de 1 milhão de pessoas buscando asilo no continente em 2015, mas reduzido desde então. Muitos imigrantes chegam através de traficantes, frequentemente em condições terríveis e por altas somas de dinheiro.

— Todos nós podemos fazer mais e ajudar informando casos de exploração e escravidão — acrescentou o papa.

Prevenção

O tráfico mundial de meninas e mulheres, principais vítimas deste tipo de crime, corresponde a 70% dos casos registrados. Na maioria dos casos ela acabam usadas para fins de exploração sexual, de acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU). A informação é de Vera Vieira, da Associação Mulheres pela Paz.

O fato de essas mulheres e meninas estarem, em sua maioria, vulneráveis socialmente, justifica elas serem atraídas por falsas promessas de emprego e acabarem sendo forçadas à exploração. Diante dessa situação, Vera lamentou a saída do Brasil do Pacto Global para Migração, assinado por mais de 160 países, mas recusado pelo governo de Jair Bolsonaro.

— Esses países que adotaram o Pacto se comprometeram com regras para a migração segura e regular, visando a prevenção e identificação de migrantes propensos ao tráfico e à exploração — conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *