Para 76%, Bolsonaro deve ser afastado se desobedecer Justiça

Arquivado em: Brasil, Manchete, Últimas Notícias
Publicado sábado, 18 de setembro de 2021 as 11:28, por: CdB

Segundo Datafolha, maioria é favorável que presidente sofra impeachment se não cumprir ordens judiciais. Em ato no 7 de Setembro, ele disse que ignoraria decisões do ministro do STF Alexandre de Moraes.

Por Redação, com DW – de Brasília

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada neste sábado pelo jornal Folha de S.Paulo aponta que, para 76% dos brasileiros, o presidente Jair Bolsonaro deve sofrer um processo de impeachment caso desobedeça a Justiça.

“Qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá”, disse Bolsonaro a apoiadores

Segundo a sondagem, 21% dizem que ele não deve sofrer impeachment, enquanto 3% afirmaram não saber.

O Datafolha ouviu 3.667 eleitores em 190 cidades entre os dias 13 e 15 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

Ameaças

Bolsonaro fez ameaças durante manifestações a favor do governo e com pautas antidemocráticas realizadas no dia 7 de setembro, dizendo diante de seus apoiadores que não cumprirá quaisquer ordens judiciais do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. “Dizer a vocês que, qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou, ele tem tempo ainda de pedir o seu boné e ir cuidar da sua vida. Ele, para nós, não existe mais”, afirmou o presidente.

De acordo com a Constituição, nenhum cidadão tem o direito de descumprir ordens judiciais e, no caso do presidente da República, juristas avaliam que isso constitui crime de responsabilidade, passível de processo de impeachment.

Dois dias após a declaração, Bolsonaro divulgou um texto intitulado “Declaração à Nação” afirmando que nunca teve a “intenção de agredir quaisquer dos poderes”.

Reprovação em alta

Na quinta, o Instituto Datafolha divulgou uma pesquisa apontando alta na reprovação ao governo de Bolsonaro, que passou a 53%, o pior nível desde o início do mandato.

No levantamento anterior, feito em julho, Bolsonaro era rejeitado por 51% dos entrevistados, que avaliaram o governo dele como ruim ou péssimo.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code