Para secretário, paralização não afetará serviços essenciais

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quarta-feira, 9 de abril de 2003 as 10:13, por: CdB

O secretário de Administração Penitenciária, Astério Pereira dos Santos, apesar de reconhecer que a decisão de paralisação a partir da zero hora de quarta, tomada nesta terça-feira pelos agentes penitenciários, pode trazer dificuldades para o sistema carcerário do Estado, ressaltou que os serviços essenciais neste setor serão mantidos.

“Vamos buscar a ajuda da Polícia Militar para que as atividades essenciais, incluindo a apresentação de presos, atendimentos médicos, visitas e alimentação, entre outras, sejam mantidas dentro da maior normalidade possível”, garantiu.

Astério lamentou a decisão dos agentes e disse que o momento escolhido para a manifestação não podia ser mais inadequado. “Lamento que tal decisão ocorra num momento em que as coisas estão se acertando e o agente penitenciário está sendo mais valorizado”, afirmou.

Lembrando que a categoria não é a única sem receber o 13º salário, Astério reafirmou os esforços do governo do estado para quitar a dívida para com todos os servidores. “Há um esforço intenso para aumentar a arrecadação e negociar com o governo federal, oferecendo várias alternativas para que a situação de caixa do Rio de Janeiro se solucione. Já que a Administração Penitenciária é item essencial da segurança pública, nossa expectativa é de que o governo federal se sensibilize com mais este problema que estamos vivenciando”, finalizou.