Paris proíbe manifestação prevista para ocorrer na Embaixada dos EUA

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 5 de junho de 2020 as 12:14, por: CdB

A polícia francesa proibiu uma manifestação planejada para acontecer em frente à Embaixada dos Estados Unidos em Paris no sábado, enquanto protestos acontecem em todo o mundo pela morte de George Floyd em Mineápolis.

Por Redação, com Reuters – de Paris

A polícia francesa proibiu uma manifestação planejada para acontecer em frente à Embaixada dos Estados Unidos em Paris no sábado, enquanto protestos acontecem em todo o mundo pela morte de George Floyd em Mineápolis.

Manifestantes protestam contra racismo em Paris
Manifestantes protestam contra racismo em Paris

O departamento de polícia de Paris informou nesta sexta-feira que decidiu proibir as manifestações por causa dos riscos de desordem social e perigos para a saúde de grandes reuniões devido à pandemia do novo coronavírus.

Os protestos

Distúrbios ocorreram na quarta-feira em outra manifestação contra a polícia na capital francesa. Apesar da proibição do evento, milhares de pessoas compareceram em memória de Adama Traore, um francês negro de 24 anos que morreu em uma operação policial de 2016 em situação que alguns compararam à morte de Floyd.

Os protestos tomaram as ruas dos Estados Unidos após o assassinato de Floyd, um afro-americano de 46 anos que morreu após um policial branco ajoelhar-se sobre seu pescoço por quase nove minutos em Mineápolis em 25 de maio.

França nega estar abrigando Guaidó

A França negou nesta sexta-feira que o líder opositor venezuelano Juan Guaidó se refugiou em qualquer uma de suas dependências diplomáticas em Caracas depois que o ministro das Relações Exteriores da Venezuela disse que ele está se escondendo na embaixada francesa.

– O senhor Juan Guaidó não está na residência francesa em Caracas – disse a porta-voz da chancelaria, Agnes von der Muhll, em um comunicado. “Confirmamos isto diversas vezes às autoridades venezuelanas”.

Uma fonte diplomática francesa esclareceu que Guaidó não está em nenhuma instalação da França no país sul-americano.

O chanceler da Venezuela, Jorge Arreaza, disse à Rádio Unión na quinta-feira que Guaidó está na embaixada francesa e também acusou a Espanha de acolher Leopoldo López, outro oponente do governo.

– É vergonhoso para a diplomacia espanhola, é vergonhoso para a diplomacia da França o que aconteceu, e eles pagarão o preço muito, muito em breve – disse Arreaza.

Em maio, a França convocou o embaixador da Venezuela devido às acusações de que o governo do presidente Nicolás Maduro vinha assediando sua embaixada em Caracas, inclusive cortando a água e a eletricidade da residência do embaixador.

A França é uma de dezenas de nações que não reconhecem a contestada reeleição de Maduro em 2018 e consideram Guaidó o presidente legítimo da Venezuela.

Maduro já acusou o embaixador francês, Romain Nadal, de interferir nos assuntos internos de seu país.

Von der Muhll acrescentou: “Só um caminho democrático, com eleições livres, transparentes e críveis, permitirá que ela (a crise política) seja resolvida no longo prazo e dará fim ao sofrimento do povo venezuelano”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *