Parisienses vão para o campo antes de entrada em vigor de confinamento

Arquivado em: Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 17 de março de 2020 as 13:00, por: CdB

O êxodo de Paris despertou aflição no interior da França, onde muitos temem que os moradores urbanos tragam o vírus com eles e acelerem a propagação.

Por Redação, com Reuters – de Paris

Parisienses correram para as estações de trem nesta terça-feira para deixar a capital francesa antes da entrada em vigor de um confinamento determinado com o intuito de retardar as taxas de contágio do novo coronavírus.

Homem com máscara de proteção em plataforma de trem Gare du Nord, em Paris
Homem com máscara de proteção em plataforma de trem Gare du Nord, em Paris

Aqueles que ficaram para trás se dirigiram a supermercados e farmácias, mesmo que ambos permanecerão abertos, segundo as restrições públicas anunciadas pelo presidente francês, Emmanuel Macron, na noite de segunda-feira.

O êxodo de Paris despertou aflição no interior da França, onde muitos temem que os moradores urbanos tragam o vírus com eles e acelerem a propagação.

Um homem aposentado, que abastecia seu carro perto da sede da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), disse que estava fugindo para sua casa de campo, 100 quilômetros a oeste de Paris.

– Melhor ficar lá do que preso em um apartamento – afirmou ele.

Controle das fronteiras

Além do controle das fronteiras do país, Macron ordenou que as pessoas ficassem em casa a partir do início da tarde desta terça-feira e saíssem apenas para comprar alimentos, viajar a trabalho se extremamente necessário, exercitar-se ou para cuidados médicos.

O Exército vai ajudar a transferir pacientes para os hospitais, disse o presidente.

O número de mortes por Covid-19 na França chegou a 148, com cerca de 6.600 casos confirmados.

Assim como em outros países europeus, como Itália, Alemanha e Espanha, escolas, restaurantes e bares estão fechados.

O ministro das Finanças, Bruno Le Maire, espera que a economia francesa encolha em 1% em 2020.