PCC ataca apenas o interior de SP

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado segunda-feira, 17 de julho de 2006 as 11:20, por: CdB

Os ataques atribuídos ao Primeiro Comando da Capital (PCC) praticamente acabaram na cidade de São Paulo – apenas o incêndio de um ônibus foi registrado no domingo –  mas continuam a atingir o interior do estado, ainda que num ritmo menor.

Entre a noite de domingo e a madrugada desta segunda, os atentados atingiram ônibus e casas de policiais e guardas municipais. Ninguém se feriu.

Em Araras (169 km a noroeste de São Paulo), dois homens em uma moto dispararam vários tiros, por volta das 2h desta segunda-feira, contra as casas de dois guardas municipais no bairro José Ometo 2.

Segundo a Guarda Municipal de Araras, os agentes não estavam em casa, pois trabalhavam no momento do ataque. Nenhum dos familiares dos guardas ficou ferido.

Em Marília (444 km a noroeste de São Paulo), o alvo dos ataques foram as casas de dois policiais militares vizinhos, no bairro Argolo Serrão. Às 22h30 de domingo (16), criminosos jogaram um coquetel molotov em uma das casas e dispararam tiros na outra. Os criminosos fugiram em seguida. Ninguém se feriu.

Na mesma cidade, um homem foi preso às 4h40 desta segunda-feira ao jogar uma pedra contra o vidro de um ônibus da empresa Circular Marília, na rua Tiradentes, no bairro Fragata Não houve feridos.

A nova onda de violência, iniciada na última terça-feira, perdeu força após a transferência de cinco supostos chefes da facção criminosa para a unidade de Presidente Bernardes (589 km a oeste de São Paulo) onde vigora o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), que impõe regras rígidas aos presos.