Pence pede que Arábia Saudita solte blogueiro que fez críticas ao Islã

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Europa, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 18 de julho de 2019 as 14:15, por: CdB

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, criticou nesta quinta-feira a Arábia Saudita, país aliado aos EUA.

Por Redação, com Reuters – de Washington/Moscou

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, criticou nesta quinta-feira a Arábia Saudita, país aliado aos EUA, por suprimir liberdades religiosas e pediu que o governo saudita liberte RaifBadawi, um blogueiro preso por criticar o Islã.

Vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante evento sobre liberdade religiosa em Washington

Falando durante conferência sobre liberdade religiosa no Departamento de Estado, Pence destacou a prisão de dissidentes religiosos na Eritréia, Mauritânia, Paquistão e Arábia Saudita.

– Todos estes quatro homens se mantiveram fortes na defesa da liberdade religiosa, apesar de pressão inimaginável, e o povo norte-americano está com eles – disse Pence. “Os Estados Unidos pede que os governos da Eritréia, Mauritânia, Paquistão e Arábia Saudita respeitem a liberdade de consciência e libertem estes homens.”

Rússia convoca diplomata dos EUA

A Rússia convocou um representante da embaixada dos Estados Unidos em Moscou nesta quinta-feira para apresentar um protesto após autoridades norte-americanas alegarem que a Rússia negou vistos para professores em uma escola internacional de Moscou, disse o Ministério das Relações Exteriores russo.

O ministério disse em comunicado que não negou os vistos, mas os professores da escola estavam entrando na Rússia sob vistos diplomáticos, apesar de não serem diplomatas.

A chancelaria disse que a Rússia está pronta para emitir vistos rapidamente a funcionários diplomáticos dos EUA assim que o governo norte-americano começar a emitir vistos a diplomatas russos nos EUA.

Na véspera, EUA e Rússia se acusaram de usar crianças como reféns políticos após dezenas de professores na escola de língua inglesa em Moscou apadrinhada por filhos de diplomatas ocidentais terem sido deixados sem vistos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *