Pequim lança concurso para buscar mascote dos Jogos de Inverno de 2022

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Esportes Olímpicos, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 8 de agosto de 2018 as 13:00, por: CdB

Os Jogos de Pequim tiveram mascotes: o peixe Beibei, a panda Jingjing, a tocha Huanhuan, o antílope tibetano Yingying e a andorinha Nini

Por Redação, com EFE – de Pequim/Washington

Pequim aproveitou nesta quarta-feira a celebração do 10° aniversário do início dos Jogos Olímpicos de 2008 com o lançamento de uma competição internacional para buscar um mascote para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, que também terão como sede a capital chinesa.

Os finalistas da competição, que receberá propostas até o final de outubro, serão revelados na segunda metade do próximo ano

O secretário-geral do Partido Comunista em Pequim e presidente do comitê organizador dos JJOO de 2022, Cai Qi, presidiu a cerimônia de homenagem ao evento tanto de celebração como de lançamento do concurso internacional, realizado no Parque Olímpico.

– Temos certeza que será criado mascote divertido, que fascine as pessoas de todo o mundo e seja um grande exemplo para todos os esportes, os de inverno em particular – destacou durante a cerimônia, através de uma mensagem de vídeo, o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach.

Os finalistas da competição, que receberá propostas até o final de outubro, serão revelados na segunda metade do próximo ano.

Os Jogos de Pequim tiveram mascotes: o peixe Beibei, a panda Jingjing, a tocha Huanhuan, o antílope tibetano Yingying e a andorinha Nini.

Cada um era da cor de um dos anéis olímpicos, e entre todos os personagens, muito relacionados com a cultura chinesa, formavam a frase “Beijing Huanying Nem” (Pequim te dá as boas-vindas).

Pequim será a primeira cidade da história a sediar Jogos Olímpicos de Verão e Inverno, embora nos de 2022 a cidade só será sede das provas sobre gelo (patinação artística e de velocidade, curling, hóquei…) enquanto as competições sobre neve acontecerão em estações ao norte da capital.

LeBron James diz que Trump usa esporte para dividir negros e brancos

O ala americano LeBron James criticou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pelo uso político do esporte e garantiu que não se encontrará com o líder.

– Estamos em uma situação agora, em que toda a questão racial tem se agravado. Acho que nosso presidente está tentando nos dividir. O que notei nos últimos meses é que usou o esporte para nos dividir. Isso é algo que não posso entender – afirmou o astro do Los Angeles Lakers, em entrevista à emissora norte-americana “CNN”.

A fala de LeBron veio após questão sobre as críticas de Trump a vários jogadores da NFL, liga profissional de futebol norte-americano do país, que se ajoelhavam durante a execução do hino nacional, pela violência contra os negros. O presidente chegou a pedir que donos de equipe multassem os atletas.

– Não posso me calar e não dizer nada – afirmou o jogador de basquete.

LeBron destacou que, através do esporte, teve a oportunidade de “pela primeira vez”, aprender com brancos, assim como brancos aprenderam com ele, que é negro.

Por isso, o ala garantiu que “nunca” se reuniria com Trump, algo que faria com o ex-presidente dos EUA Barack Obama. Em agosto do ano passado, o jogador dos Lakers já havia classificado o atual mandatário norte-americano como “imbecil”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *