Persistência da luta na Síria agrava situação de civis

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020 as 13:26, por: CdB

Aviões de guerra russos voltaram a atacar cidades do noroeste da Síria dominadas por rebeldes nesta quinta-feira, e a artilharia turca apoiou ataques de insurgentes em outras partes.

Por Redação, com Reuters – de Ancara

Aviões de guerra russos voltaram a atacar cidades do noroeste da Síria dominadas por rebeldes nesta quinta-feira, e a artilharia turca apoiou ataques de insurgentes em outras partes, enquanto autoridades dos dois países se esforçavam para chegar a um acordo para deter uma escalada na guerra síria.

Famílias sírias se abrigam em tendas de acampamento improvisado em Azaz
Famílias sírias se abrigam em tendas de acampamento improvisado em Azaz

Em Genebra, o chefe da agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU) pediu uma interrupção dos combates para que centenas de milhares de civis retidos possam ir para locais seguros.

Tropas sírias auxiliadas por forças da Rússia estão lutando desde dezembro para erradicar os últimos bastiões rebeldes das províncias de Idlib e Aleppo, o que pode ser um dos últimos capítulos da guerra civil de nove anos.

Mas na quarta-feira, o presidente da Turquia, Tayyip Erdogan, ameaçou lançar uma operação militar contra as forças do governo a menos que estas recuem, e tropas e armamentos turcos já foram posicionados dentro da Síria.

As conversas entre Ancara, que apoia algumas facções rebeldes, e Moscou para evitar um conflito mais amplo e um possível confronto direto têm avançado pouco.

Turquia

As autoridades turcas pareciam mais otimistas nesta quinta-feira, e uma disse que a rodada mais recente não transcorreu “completamente sem resultado”.

“A Rússia vem mantendo sua posição de que a Turquia se retire de Idlib e esvazie seus postos de observação desde o início. Recuar de Idlib ou esvaziar os postos de observação não está na pauta”, disse o funcionário.

Mas várias opções estão sendo debatidas, inclusive a possibilidade de patrulhas conjuntas na área. Tanto Ancara como Moscou espera que seus presidentes “encerrem o assunto”, acrescentou.

O ministro das Relações Exteriores turco, Mevlut Cavusoglu, disse que houve alguma reconciliação com a Rússia nas conversas, mas que elas ainda não chegaram ao nível desejado. Ancara e Moscou se acusam de desprezar um acordo de apaziguamento de 2018 que permitiu a turcos e russos montarem postos de observação em Idlib.

A Turquia disse que alguns de seus postos em Idlib foram cercadas por forças do governo sírio.

Inimigos

O presidente sírio, Bashar al-Assad, cuja dinastia familiar comanda o país há quase meio século, não deu sinal de que amenizará a campanha para massacrar seus inimigos de uma vez por todas.

Moradores e agentes humanitários disseram que aviões de guerra russos retomaram os ataques às cidades de Darat Izza e Atareb, na porção norte de Aleppo, nesta quinta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *