Pesquisadores descobrem dunas de gelo de metano em Plutão

Arquivado em: Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias, Universo
Publicado sexta-feira, 1 de junho de 2018 as 10:52, por: CdB

Imagens da Nasa mostram um grande campo de dunas na superfície gélida do planeta distante. Mas com uma atmosfera rarefeita como a de Plutão gerou vento suficiente para formar os montes?

Por Redação, com DW – de Nova York:

Cientistas descobriram em Plutão uma grande faixa de dunas compostas de grãos congelados de metano, de acordo com uma pesquisa divulgada na revista científica Science na quinta-feira. As fileiras paralelas de dunas, espalhadas por uma área aproximadamente do tamanho de Tóquio, foram vistas em imagens tiradas pela espaçonave New Horizons, da agência espacial americana Nasa, durante o sobrevoo de 2015.

Menor do que a Lua, Plutão, orbita a 5,8 bilhões de quilômetros do Sol

As dunas – com topografia similar às de desertos; estão localizadas na divisa entre a geleira de nitrogênio em forma de coração chamada Sputnik Planitia e a cordilheira Al Idrisi Montes, de água congelada. A descoberta foi uma surpresa, pois os cientistas duvidavam que a atmosfera extremamente rarefeita de Plutão pudesse gerar o vento necessário para criar as características comuns nos desertos da Terra.

– Plutão, embora esteja tão longe da Terra e seja tão frio, tem uma profusão de processos que nunca esperamos ver – disse Jani Radebaugh; cientista planetário da Universidade Brigham Young. “É muito mais interessante do que qualquer um de nós sonhou e (a descoberta); nos diz que vale a pena visitar esses corpos muito distantes.”

Semelhante, mas diferente

Os cientistas compararam as dunas de Plutão às do Vale da Morte, na Califórnia; e às do deserto do Taklamakan, na China; mas com uma composição muito diferente.

– Tem uma densidade um pouco menor do que a areia que estamos acostumados a pegar na Terra – disse Radebaugh. “Portanto, a sensação é de ser mais leve; mas ainda assim seria granular e iria escorrer pelos dedos; e seus pés as triturariam ao caminhar.”

Plutão, que é menor do que a Lua terrestre, orbita a cerca de 5,8 bilhões de quilômetros do Sol; ou quase 40 vezes a órbita da Terra. Sua superfície é marcada por planícies, montanhas, crateras e vales. Metano, monóxido de carbono; dióxido de carbono e nitrogênio existem no planeta em estado sólido, devido à temperatura de zero absoluto.

Ventos suaves de Plutão

Os cientistas deduzem que o revestimento de gelo de nitrogênio na superfície da geleira Sputnik Planitia se transformou em gás; projetando as partículas de metano no ar, que foram então depositadas pelos suaves ventos de Plutão. A equipe de pesquisa ainda não determinou a altura das dunas; mas calcula que elas tenham pelo menos dezenas de metros de altura.

Dunas foram encontradas em outras partes do sistema solar: em Marte, Vênus, na lua de Saturno Titã e até mesmo num cometa. Mas as dunas de Plutão são as únicas que se sabe serem compostas de metano.

– O fato de haver dunas tanto na superfície escaldante de Vênus; sob uma atmosfera densa, quanto nos confins do sistema solar; a 230 graus Celsius negativos e sob atmosfera rarefeita; nos mostra que as dunas têm hábito de surgir em muitos lugares surpreendentes – comentou Matt Telfer, planetologista da Universidade de Plymouth.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *