Pesquisadores revelam ameaça tóxica em geleira derretendo na Groenlândia

Arquivado em: Ásia, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 25 de maio de 2021 as 14:49, por: CdB

Os fluxos de mercúrio dissolvido do sudoeste da Groenlândia constituem cerca de 10% do fluxo fluvial total e incluem a exportação de metilmercúrio, o mais tóxico composto contendo mercúrio que se acumula no organismo de animais.

Por Redação, com Sputnik – de Pequim

Equipe internacional de pesquisadores descobriu que manto de gelo da Groenlândia emite tanto mercúrio com os rios industriais da China.

Cientistas revelam ameaça tóxica em geleira derretendo na Groenlândia

Conforme escreveram os autores no artigo publicado na revista Nature Geoscience, o metal pesado pode entrar nas cadeias alimentares, o que coloca ameaça para a pesca e exportação de produtos do mar.

Os pesquisadores avaliaram a quantidade de mercúrio que entra nos fiordes com a água doce que provém de três bacias de geleiras no sudoeste do manto de gelo da Groenlândia.

Verificou-se que a concentração de metal atinge 521-3.300 milimoles por quilômetro quadrado por ano, o que é um indicador duas ordens de grandeza mais alto que nos rios árticos (4-20 milimoles por quilômetro quadrado por ano).

Os fluxos de mercúrio

Os fluxos de mercúrio dissolvido do sudoeste da Groenlândia constituem cerca de 10% do fluxo fluvial total e incluem a exportação de metilmercúrio, o mais tóxico composto contendo mercúrio que se acumula no organismo de animais.

A fonte do mercúrio é provavelmente, consideram os autores da pesquisa, uma fonte natural escondida sob o manto da geleira, ou seja, não se trata de um resultado da atividade humana.

Ao mesmo tempo, as geleiras derretem por causa do aquecimento global, o que pode dificultar os esforços para redução de emissões de metais pesados ao meio ambiente. Cerca de 10% da superfície terrestre está coberta por geleiras, e esse ambiente está sofrendo mudanças drásticas em resultado do aumento das temperaturas médias globais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

code