Pesquisas apontam liderança de Paes na corrida à prefeitura do Rio

Arquivado em: Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 21 de agosto de 2020 as 12:55, por: CdB

Em um segundo cenário, sem os candidatos mais distantes da chance de se eleger, Paes aparece com 29,5% da intenção do eleitorado contra 15,7% de Crivella. Esta foi a primeira pesquisa realizada após o deputado Marcelo Freixo (PSOL) desistir da candidatura.

Por Redação – do Rio de Janeiro

No início da temporada de pesquisas para as eleições municipais do Rio de Janeiro, marcadas para novembro, o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) lidera a disputa pela prefeitura com mais de dez pontos percentuais à frente do atual prefeito, Marcelo Crivella (Republicanos). Estudo do Instituto Paraná Pesquisas, no primeiro cenário estimulado, coloca Paes com 28,6% das intenções de voto, seguido por Crivella com 15,4%.

Ex-prefeito Eduardo Paes foi abolvido pela justiça
O ex-prefeito Eduardo Paes aparece na liderança para as próximas eleições, à frente de Crivella, depois que o deputado Marcelo Freixo (PSOL) desistiu de concorrer

Em um segundo cenário, sem os candidatos mais distantes da chance de se eleger, Paes aparece com 29,5% da intenção do eleitorado contra 15,7% de Crivella. Esta foi a primeira pesquisa realizada após o deputado Marcelo Freixo (PSOL) desistir da candidatura.

Daciolo

Paes e Crivella, no cenário inicial, têm as candidatas de partidos de esquerda: Delegada Martha Rocha (PDT), com 9,3%, e Bendita da Silva (PT), com 7%, no ranking. Ainda no páreo, aparecem o Cabo Daciolo (Avante), com 5,1% da preferência do eleitorado e Clarissa Garotinho (PL), 3,1% Os demais 18,5% do eleitorado dizem que não votarão em nenhum candidato, e 4,3% não sabem em quem votarão nestas eleições.

No quadro secundário, Paes lidera com 29,5% das intenções. Crivella aparece com 15,7% da preferência do eleitorado. Em seguida aparece Delegada Martha Rocha (10,1%), Benedita da Silva (7,4%), Cabo Daciolo (5,2%) e Clarissa Garotinho (3,4%). Outros, 19,7% declararam que não votarão em nenhum candidato e 4,8% afirmaram não saber em quem votar.

Quando os nomes dos pré-candidatos não são citados, Eduardo Paes também lidera com 7,6%, seguido por Marcelo Crivella (5,7%), Delegada Martha Rocha (1,2%), Marcelo Freixo (0,8%), Benedita da Silva (0,5%), Cabo Daciolo (0,4%) e Clarissa Garotinho (0,3%). O Instituto Paraná Pesquisas ouviu 910 eleitores por telefone entre os dias os dias 15 e 19 de agosto. A margem de erro é de 3,5% pontos para mais ou para menos.

Não registrada

Em outro estudo — sem citar o instituto de pesquisa —, divulgado apenas no blog Agenda do Poder, do jornalista Ricardo Bruno, a pré-candidata do PT à Prefeitura do Rio, deputada Benedita da Silva, figura como aquela que mais agrega o voto de esquerda no Rio. “O fato lhe assegura um percentual de intenção de votos muito próximo do prefeito Marcelo Crivella. Na verdade, Crivella tem ligeira vantagem numérica”, diz o blogueiro.

“Herdeira direta dos votos do ex-presidente Lula no Rio, Benedita foi favorecida pela retirada da candidatura do deputado Marcelo Freixo (PSOL). A nova candidata do PSOL, deputada Renata Souza, ainda é desconhecida, pontuando com percentual reduzido. A pré-candidata do PDT, delegada Martha Rocha, vem em seguida, mas com potencial de crescimento decorrente de sua boa imagem. De todos os candidatos, Martha Rocha é a única com imagem positiva”, acrescentou.

Ainda segundo o blog, “todos os outros postulantes, mesmo Eduardo Paes que lidera a sondagem, têm a imagem predominantemente negativa. A favor da delegada Martha Rocha pesa também o fato de a segurança pública ser uma das questões de maior preocupação dos cariocas. A pesquisa, não registrada, mostra que saúde e segurança são os dois temas mais importantes para a população. Quem, portanto, se apresentar com um discurso convincente, bem formulado e direcionado às duas questões, pode surpreender”, acredita.

Sem candidato

“Lula e Bolsonaro mais retiram do que dão votos : 52% não votam em um candidato apoiado por Bolsonaro e 61% rejeitam um nome indicado por Lula. Apesar dessa limitação, os dois ainda são cabos eleitorais importantes: 28% votariam no candidato de Bolsonaro e 22%, no de Lula. Em tese, os candidatos de ambos, se conseguirem converter 100% desses votos, estariam no segundo turno”, avalia o jornalista.

Com base no estudo que divulga, Bruno afirma que “hoje, a metade da população não tem candidato. Dos outros 50% que já escolheram seus representantes no pleito, Eduardo Paes tem quase a metade. Ou seja, como já foi dito em outras pesquisas, está muito próximo de uma vitória no primeiro turno”.

“Salvo um fato novo surpreendente ou o surgimento de um nome com credibilidade, imagem positiva e credenciais para enfrentar os problemas da saúde e da segurança (este, na verdade, de competência do governador), Paes caminha inabalável em direção ao Palácio da Cidade. Agora, pela terceira vez”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *