Petrobras e chinesa CNODC levam o bloco Aram

Arquivado em: Energia, Negócios, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 7 de novembro de 2019 as 13:09, por: CdB

Não houve proposta para os outros blocos ofertados, que incluíam Bumerangue, Cruzeiro do Sul e Sudoeste de Sagitário, na Bacia de Santos, e Norte de Brava, na Bacia de Campos.

Por Redação, com Reuters – de Brasília

Um consórcio da Petrobras com a chinesa CNODC arrematou nesta quinta-feira o bloco Aram, na Bacia de Santos, com bônus de assinatura fixo de R$ 5,05 bilhões, durante a 6ª Rodada de licitação de áreas do pré-sal sob regime de partilha, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O bônus de assinatura fixo total do leilão era de R$ 7,85 bilhões
O bônus de assinatura fixo total do leilão era de R$ 7,85 bilhões

A oferta vencedora pelo principal bloco da rodada, o único dos cinco ofertados no certame que foi vendido, somou o percentual mínimo de 29,96% de excedente em óleo à União, sem ágio.

Não houve proposta para os outros blocos ofertados, que incluíam Bumerangue, Cruzeiro do Sul e Sudoeste de Sagitário, na Bacia de Santos, e Norte de Brava, na Bacia de Campos.

O bônus de assinatura fixo total do leilão era de R$ 7,85 bilhões. A Petrobras havia exercido o direito de preferência por Aram, Sudoeste de Sagitário e Norte de Brava.

Na quarta-feira o consórcio Petrobras/CNODC/CNOOC arrematou o bloco de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos, durante a Rodada de Licitações do Excedente da Cessão Onerosa, com a oferta mínima de 23,24% de excedente em óleo à União, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Não houve outra oferta pelo bloco, no qual a Petrobras será operadora com 90% de participação. Com a vitória, o consórcio pagará R$ 68,2 bilhões em bônus de assinatura à União pelo bloco —o mais importante da licitação. Considerando sua participação no consórcio, a Petrobras pagará R$ 61,38 bilhões.

A Petrobras vai usar caixa e eventualmente financiamentos para bancar gastos bilionários com leilões do pré-sal desta semana, disse nesta quinta-feira o diretor de Exploração e Produção da estatal, Carlos Alberto Pereira de Oliveira.

No leilão da véspera, no excedente da cessão onerosa, a Petrobras assumiu gastos com bônus de mais de R$ 63 bilhões. Nesta quinta-feira, ganhou em consórcio com a chinesa CNODC o bloco Aram, na Bacia de Santos, que tem um bônus fixo de R$ 5,05 bilhões.

Em entrevista a jornalistas após a 6ª Rodada de Licitação do pré-sal, o executivo negou que os gastos no leilão do excedente da cessão onerosa tenham limitado a atuação da empresa no certame desta quinta-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *