Petrobras anuncia fim de parceria e patrocínio à equipe de Fórmula 1 McLaren

Arquivado em: Destaque do Dia, Esportes, Fórmula 1, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 4 de novembro de 2019 as 12:10, por: CdB

A Petrobras e a equipe de Fórmula 1 McLaren Racing encerraram nesta segunda-feira uma parceria técnica e de patrocínio.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo/Londres

A Petrobras e a equipe de Fórmula 1 McLaren Racing encerraram nesta segunda-feira uma parceria técnica e de patrocínio, informou a estatal brasileira de petróleo em comunicado.

A Petrobras e a equipe de Fórmula 1 McLaren Racing encerraram nesta segunda-feira uma parceria técnica e de patrocínio
A Petrobras e a equipe de Fórmula 1 McLaren Racing encerraram nesta segunda-feira uma parceria técnica e de patrocínio

O fim do contrato entre Petrobras e McLaren, que envolvia 163 milhões de libras esterlinas, foi antecipado pela agência inglesa de notícias Reuters em 17 de outubro, com informação de documento do Ministério da Economia. Na ocasião, Petrobras e McLaren recusaram-se a comentar.

Encerramento

Segundo a Petrobras, “a parceria resultou em claros avanços tecnológicos na linha de combustíveis e lubrificantes, além de oportunidades de futuras cooperações comerciais, tecnológicas e de responsabilidade social entre as duas empresas”. A estatal, no entanto, não detalhou motivos para o encerramento do contrato em seu comunicado.

O presidente Jair Bolsonaro havia publicado no Twitter em maio que a Petrobras buscaria uma maneira de rescindir o contrato com a McLaren, por decisão de seu governo, mas também sem detalhar razões.

O documento do Ministério da Economia visto pela Reuters qualificou o contrato da estatal para patrocínio à equipe como “injustificável”. O acordo foi assinado na gestão de Pedro Parente à frente da Petrobras, o executivo deixou o comando da petroleira em junho de 2018.

Hamilton já é visto como piloto único

Lewis Hamilton está prestes a se unir à lenda da Ferrari Michael Schumacher na lista dos maiores campeões da Fórmula 1 em todos os tempos, mas alguns já consideram o piloto da Mercedes um caso à parte.

O britânico avançou mais um passo no Grande Prêmio dos Estados Unidos, no domingo, terminando a corrida no Texas em segundo e conquistando o título com duas provas de antecedência, o que o colocou ao lado do heptacampeão Schumacher como os dois únicos donos de seis coroas.

Hamilton já tem muitos recordes, incluindo 87 pole positions e 33 chegadas consecutivas na zona de pontuação, e suas 83 vitórias o encaminham para bater o recorde de 91 de Schumacher no ano que vem.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse que vê o piloto de 34 anos superando todos os marcos do alemão.

Mas David Coulthard, que perdeu o título para Schumacher em 2001 e substituiu Ayrton Senna na Williams em 1994 após a colisão fatal do brasileiro, opinou que não é isso que tornará Hamilton único.

Schumacher

– Será que ele consegue conquistar sete (títulos) ou ultrapassar Michael? A resposta é sim, é claro que consegue – disse o escocês à Reuters. “Mas não acho que ele tem que fazê-lo, ou que precisa fazê-lo”.

– Acho que ele já consolidou seu lugar no auge da história da Fórmula 1, e o que acho que realmente o diferencia da grandeza de Senna ou Schumacher é sua ética esportiva.

– Acho que Lewis é um esportista consumado.

Embora tanto Schumacher quanto o falecido tricampeão mundial Senna sejam adorados por muitos e seu brilho nas pistas os tenha colocado muito acima de seus rivais muitas vezes, suas ações flertaram com a polêmica em várias ocasiões.

Hamilton muito menos, a pior mancha em seu currículo veio em 2009, quando ele se envolveu em um escândalo por mentir a fiscais de prova, o que custou o emprego do então diretor da McLaren, Dave Ryan.

O britânico gerou muitas outras manchetes, inevitáveis para um piloto que rompeu os padrões ao emergir de um meio humilde e sem tradição automobilística e se tornar o primeiro campeão negro do esporte, e continua uma figura polarizadora.

Mas o respeito e a amizade autênticos de adversários de pista, como o tetracampeão Sebastian Vettel, da Ferrari, também diz muito.

Hamilton ainda se tornou vegano, defendeu a proteção ambiental e o bem-estar dos animais diante de seus 13,4 milhões de seguidores no Instagram e desenvolveu interesses de grande repercussão na moda e na música.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *