Petrobras não venderá fatia em Búzios, afirma diretor

Arquivado em: Energia, Últimas Notícias
Publicado sexta-feira, 8 de novembro de 2019 as 10:35, por: CdB

A venda de participação do ativo poderia ser uma forma importante de a companhia conseguir recursos para bancar o gasto com bônus de assinatura do leilão.

Por Redação, com Reuters – de São Paulo

A Petrobras não tem a intenção de realizar um farm-out no bloco de Búzios, ou venda de fatia no ativo, disse o diretor-executivo de Exploração e Produção da companhia, Carlos Alberto Pereira de Oliveira, durante teleconferência com investidores para comentar os movimentos da petroleira nos leilões do pré-sal desta semana.

A CFO disse que a empresa tem opções para levantar recursos para bancar ofertas de leilões
A CFO disse que a empresa tem opções para levantar recursos para bancar ofertas de leilões

A venda de participação do ativo poderia ser uma forma importante de a companhia conseguir recursos para bancar o gasto com bônus de assinatura do leilão do excedente de Búzios, esta semana, de cerca de R$ 63 bilhões.

Mas a diretora-executiva de Finanças e Relacionamento com Investidores, Andrea de Almeida, disse que a companhia mantém metas de desalancagem, apesar de grandes ofertas por ativos no pré-sal, que geraram preocupações no mercado sobre questões de endividamento.

A CFO disse que a empresa tem opções para levantar recursos para bancar ofertas de leilões, como desinvestimentos e acordo de coparticipação com parceiras chinesas em Búzios, onde a Petrobras já atua pelo contrato original da cessão onerosa.

Tanto o leilão desta quinta-feira, quanto todos os demais, integram o planejamento estratégico da Petrobras para este ano, ou seja, foi planejado, meticulosamente, desde o início deste exercício. O leilão, em curso nesta tarde, foi o terceiro de uma série de ofertas programadas pelo governo para este ano.

Na primeira, em outubro, 12 das 36 áreas ofertadas foram concedidas, com uma arrecadação de R$ 8,9 bilhões, arrematados pelas grandes petroleiras mundiais, em áreas do pós-sal. A segunda ocorreu na tarde passada, com o desencaixe de R$ 69 bilhões do caixa da Petrobras por dois campos do pré-sal, e a transferência de recursos para os cofres da União.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *