PF cumpre mandados de prisão por suposto caixa 2 de Serra

Arquivado em: Brasil, Manchete, Polícia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 21 de julho de 2020 as 11:08, por: CdB

A Polícia Federal e o Ministério Público Eleitoral de São Paulo deflagraram nessa terça-feira operação que tem como alvos principais o senador José Serra (PSDB-SP), acusado de usar um caixa 2 de R$ 5 milhões em sua campanha de 2014.

Por Redação, com Reuters e ABr – de São Paulo/Brasília

A Polícia Federal e o Ministério Público Eleitoral de São Paulo deflagraram nessa terça-feira operação que tem como alvos principais o senador José Serra (PSDB-SP), acusado de usar um caixa 2 de R$ 5 milhões em sua campanha de 2014, e o empresário José Seripieri Júnior, fundador do grupo Qualicorp, que atua na comercialização e administração de planos de saúde coletivos.

Senador José Serra (PSDB-SP)
Senador José Serra (PSDB-SP)

De acordo com o MP estadual, Seripieri Jr, um dos alvos de mandado de prisão preventiva, é acusado de organizar o recebimento de doações não contabilizadas para a campanha de Serra ao Senado. A Polícia Federal também fez buscas em endereços do senador em Brasília.

A operação

A operação cumpriu ainda outros três mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Itatiba e Itu, além de Brasília, nos endereços de Serra. A 1ª Zona Eleitoral de São Paulo também determinou o bloqueio judicial de contas bancárias dos investigados.

De acordo com o MP, o fundador da Qualicorp, ex-presidente da empresa, foi responsável por organizar, operacionalizar e também coletar doações não contabilizadas, por caixa 2, para a campanha de José Serra.

Outros pagamentos

“Com o decorrer das investigações, apurou-se ainda a existência de outros pagamentos, em quantias também elevadas e efetuados por grandes empresas, uma delas do setor de nutrição e outra do ramo da construção civil, todos destinados a uma das empresas supostamente utilizadas pelo então candidato para a ocultação do recebimento das doações”, diz a nota.

De acordo com a assessoria de José Serra, a defesa do senador ainda busca informações sobre a operação. À agência inglesa de notícias Reuters procurou também a assessoria da Qualicorp, mas não obteve resposta até o momento.