PF deflagra operação contra crimes eleitorais no Rio de Janeiro

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 12 de novembro de 2020 as 11:48, por: CdB

De acordo com os Relatórios de Inteligência Financeira (Rifs) analisados pela Polícia Federal, foram verificadas movimentações financeiras atípicas em empresas ligadas aos investigados, com a possibilidade de os valores serem destinados a gastos de campanhas eleitorais.

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, no Rio de Janeiro, a Operação Sólon, contra uma organização criminosa suspeita de prática de lavagem de dinheiro relacionada a crimes eleitorais. Foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão em residências, comitês de campanhas e empresas ligadas aos envolvidos. Participaram da operação 85 Policiais Federais.

Polícia Federal deflagra operação contra crimes eleitorais no Rio
Polícia Federal deflagra operação contra crimes eleitorais no Rio

Os mandados foram expedidos pela 16ª Zona Eleitoral. Não houve pedidos de prisão, já que a legislação eleitoral proíbe o cumprimento de mandados de prisão de candidatos a menos de 15 dias da eleição e de eleitores a menos de cinco dias do dia de votação, exceto em flagrante de delito.

Segundo a corporação, integrantes de uma das maiores milícias do Rio estariam “almejando cargos no legislativo e no executivo, nas eleições de 2020, para retomar o poder que possuíam na zona oeste do município”.

Movimentações financeiras

De acordo com os Relatórios de Inteligência Financeira (Rifs) analisados pela Polícia Federal, foram verificadas movimentações financeiras atípicas em empresas ligadas aos investigados, com a possibilidade de os valores serem destinados a gastos de campanhas eleitorais.

A operação foi batizada em homenagem a Sólon, estadista, legislador e poeta grego criador da Eclésia, a Assembléia Popular de Atenas, considerada o berço da democracia. Segundo a Polícia Federal, a ação visa “reafirmar o poder das instituições que garantem a higidez no processo democrático”, diante do “avanço da atuação das organizações criminosas no cenário político”.

Está prevista uma entrevista coletiva na Superintendência da PF no Rio de Janeiro, às 11h, para dar mais detalhes sobre a operação.

Cocaína no Porto do Rio

A Polícia Federal (PF) e a Receita fizeram mais uma grande apreensão de cocaína no porto da cidade do Rio de Janeiro. Em uma operação conjunta, foram apreendidos 380 quilos da droga, na noite de quarta-feira.

A cocaína estava em contêineres e acondicionada em tabletes, no interior de caixas de resma de papel A4. O destino era a cidade portuária de Valência, na Espanha. O navio com a carga partiu do Porto de Santos (SP).

No último dia 6, a PF e a Receita haviam encontrado 780 quilos de cocaína, que também estava em contêineres, acondicionada em tabletes no interior de diversos sacos industriais, normalmente utilizados em cargas de minério de ferro para exportação.