PF deflagra operação para combater tráfico internacional de drogas

Arquivado em: Brasil, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 5 de abril de 2018 as 13:18, por: CdB

Foram cumpridos um mandado de prisão temporária e seis de busca e apreensão, em Santa Catarina, e outros três no Rio Grande do Sul. Cerca de 40 policiais participam da ação

Por Redação, com ABr – de Brasília:

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quinta-feira a Operação Bebel para desarticular esquema internacional de tráfico de drogas que utilizava “mulas”, pessoas aliciadas para transportar bagagens com drogas, em voos no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos.

Estão sendo cumpridos um mandado de prisão temporária e seis de busca e apreensão, três em Santa Catarina e três no Rio Grande do Sul

Foram cumpridos um mandado de prisão temporária e seis de busca e apreensão, em Santa Catarina, e outros três no Rio Grande do Sul. Cerca de 40 policiais participam da ação.

As investigações começaram em janeiro de 2017 com a prisão de duas passageiras que traziam drogas nas bagagens. Com isso, foram reunidas informações e documentos que permitiram localizar e acompanhar os integrantes da organização criminosa. A quadrilha atuava em Florianópolis, Santa Maria, no Rio Grande do Sul; e no Aeroporto Internacional de Guarulhos em São Paulo.

Mulas

As “mulas” eram aliciadas pelos criminosos com a promessa de pagamentos em dólares para transportar uma mala até determinado país. A bagagem continha, normalmente, cocaína. No retorno da viagem, após um curto período de permanência, outra mala com drogas sintéticas seria entregue por traficantes sediados no país estrangeiro.

De acordo com a Polícia Federal, o financiador do esquema e possivelmente o chefe da organização criminosa já está preso em Santa Catarina, acusado pelos crimes de tráfico internacional de drogas e formação de quadrilha. Ele foi apreendido com 60 mil comprimidos de ecstasy.

Força-tarefa vai investigar danos ambientais

A Procuradoria Geral da República e o Ministério Público do Pará decidiram criar uma força-tarefa para acompanhar os danos ambientais; causados pela empresa Hydro Alunorte no município de Barcarena (PA). A medida foi estabelecida em uma portaria conjunta publicada na quarta-feira no Diário Oficial da União.

Os principais objetivos da força-tarefa são investigar os danos e promover a responsabilidade dos seus agentes; promover a indenização das vítimas e a reparação dos danos; além de analisar os impactos sociais e ambientais decorrentes de vazamento de resíduos; e rejeitos químicos de atividades desenvolvidas pela empresa Hydro Alunorte. O grupo também deve propor medidas administrativas e judiciais para os responsáveis pela poluição ambiental.

A força-tarefa será composta por promotores do MP do Pará e da comarca de Barcarena; além de procuradores da República. Poderão ser convidados a participar de reuniões da força tarefa profissionais com experiência; e conhecimento técnico-científico sobre o assunto. As reuniões do grupo devem ser realizadas mensalmente em Belém.

Em fevereiro deste ano, um depósito de resíduos da empresa mineradora Hydro Alunorte; localizado em Barcarena, região metropolitana de Belém (PA), transbordou, despejando efluentes tóxicos no meio ambiente; atingindo solo e água de comunidades ribeirinhas em vários pontos do município.

A Hydro afirma que foram feitas inspeções conduzidas por várias autoridades locais; estaduais e federais, que confirmaram a integridade dos depósitos de resíduo de bauxita da Alunorte e que não há evidência de vazamento ou transbordo. A empresa contratou uma empresa de consultoria ambiental para realizar uma avaliação independente dos sistemas de gestão de tratamento de águas e efluentes na refinaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *