PF deflagra quarta fase da Operação Registro Espúrio

Arquivado em: Brasil, Destaque do Dia, Últimas Notícias
Publicado terça-feira, 18 de setembro de 2018 as 11:58, por: CdB

As investigações indicam a atuação de uma organização criminosa em entidades interessadas em obter, de forma fraudulenta, restituições de contribuições sindicais recolhidas indevidamente da CEES.

Por Redação, com ABr – de Brasília

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira a quarta fase da Operação Registro Espúrio, com o objetivo de apurar desvios de valores da Conta Especial Emprego e Salário (CEES).

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira a quarta fase da Operação Registro Espúrio

Os agentes cumpriram 16 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão temporária em Brasília, Goiânia, Anápolis, São Paulo e Londrina. Os mandados foram expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

As investigações indicam a atuação de uma organização criminosa em entidades interessadas em obter, de forma fraudulenta, restituições de contribuições sindicais recolhidas indevidamente da CEES.

Os pedidos de restituição eram manipulados pelo grupo com o intuito de adquirir direitos a créditos, conforme indicou também o Ministério da Transparência e a Controladoria-Geral da União.

Esquema

Os valores eram transferidos da CEES para as contas bancárias das entidades, com posterior repasse de um percentual para os servidores públicos e advogados integrantes do esquema.

Os investigados responderão pelos crimes de peculato, corrupção passiva, corrupção ativa, falsificação de documento público e lavagem de dinheiro.

Registro Espúrio

A Operação Registro Espúrio foi desencadeada com o objetivo de desarticular organização criminosa que atua na concessão fraudulenta de registros sindicais no Ministério do Trabalho.

Pornografia infantil

A Polícia Federal (PF)  cumpriu na semana passada seis mandados de busca e apreensão na cidade de São Paulo, como parte da quinta fase da Operação Proteção Integral para o combate ao abuso sexual infantil e sua divulgação pela Internet.

Segundo informações da assessoria de imprensa da PF, até o momento foram presos dois homens em flagrante por terem arquivos contendo imagens pornográficas com crianças e adolescentes.

A Operação Proteção Integral, explica a PF,  é um trabalho permanente, realizado por policiais federais que usam técnicas próprias de monitoramento e investigação no ambiente cibernético, para rastrear e responsabilizar os responsáveis por atividades de compartilhamento, armazenamento e produção de arquivos contendo imagens de pornografia infantil.

Os investigados responderão pelo crime de publicação de imagens de pornografia infantil, previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente, com penas de três a seis anos de prisão.

Paraná

A Polícia Federal (PF) deflagrou na última quinta-feira uma operação para investigar desvios de recursos públicos destinados ao abastecimento de viaturas da PF, no Paraná.

As investigações da Operação Combustão indicam que um servidor do órgão junto com empregados de um dos postos contratados para abastecer os veículos da PF participavam da fraude.

Os policiais federais cumprem cinco mandados de busca e apreensão, expedidos pela Primeira Vara Federal da cidade de Guaíra, no estado.

A justiça determinou ainda o afastamento do trabalho do servidor investigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *