PF cumpre mandados de prisão contra organização criminosa dentro da Receita

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 2 de outubro de 2019 as 11:26, por: CdB

A Justiça Federal do Rio de Janeiro expediu mandados de prisão contra seis servidores da Receita suspeitos de envolvimento no esquema.

Por Redação, com Reuters e ABr – do Rio de Janeiro

Uma operação conjunta da Polícia Federal, Ministério Público Federal e Receita Federal deflagrada nesta quarta-feria no Rio de Janeiro prendeu 11 pessoas suspeitas de participar de um esquema de servidores da Receita Federal que cobravam propinas para evitar multas e custos tributários.

A Polícia Federal foi às ruas na manhã desta quarta-feira para cumprir 14 mandados de prisão
A Polícia Federal foi às ruas na manhã desta quarta-feira para cumprir 14 mandados de prisão

Foram emitidos 14 mandados de prisão, mas duas pessoas estão no exterior e uma encontra-se foragida.

De acordo com comunicado da Polícia Federal, a investigação foi iniciada quando um colaborador da operação Lava Jato foi instado a pagar uma determinada quantia para não ser autuado em procedimento fiscal.

Informações

“A partir daí as investigações constataram a existência do uso de informações privilegiadas para beneficiar terceiros e de patrimônio dissimulado”, informou a PF, acrescentando que as investigações contaram com a colaboração da Receita e do Ministério Público Federal.

Em comunicado separado, a Receita Federal informou que a corregedoria do órgão foi demandada pela força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro logo após as primeiras denúncias e participou das investigações desde o início, em novembro de 2018.

Sem mácula

O superintendente regional em exercício da Polícia Federal no Rio de Janeiro, Tacio Muzzi, destacou que, “em relação à operação Lava Jato, não teve qualquer mácula”.

A operação contou 150 policiais federais e encontrou centenas de milhares de reais em espécie em diversos endereços ligados aos investigados. Inicialmente, havia 39 mandados de busca e apreensão, mas outros dois foram emitidos ao longo do dia.

O corregedor da Receita Federal, Christiano Paes Leme, disse que também serão abertos processos administrativos contra os servidores suspeitos de corrupção, que poderão ser exonerados e impedidos de voltar ao serviço público no futuro, mesmo se aprovados em concurso.