PFL diz que reforma da Previdência é ‘saco de maldade desnecessário’

Arquivado em: Arquivo CDB
Publicado quinta-feira, 11 de dezembro de 2003 as 17:22, por: CdB

O voto do PFL continua sendo contrário à aprovação da reforma da Previdência em segundo turno pelo plenário do Senado, disse o líder do PFL, senador José Agripino (RN). Segundo ele, a PEC 67 é produto de absoluta divergência entre governo e oposição. “Nós, do PFL, somos contra a reforma da Previdência. Ela é um saco de maldade desnecessário à sociedade”, acrescentou.

O parlamentar admitiu, no entanto, que ela também tem coisas boas, como a definição do teto de R$ 2.400,00 para aposentados da iniciativa privada e a valorização da previdência complementar.

Sobre a proposta de emenda paralela da reforma da Previdência, Agripino considera uma vitória da oposição. Ele garante que o PFL vai lutar para manter, nesta proposta, o subteto único, a paridade, a regra de transição e a não taxação para portadores de doenças incapacitantes para o trabalho. “Para a PEC paralela há acordo e não divergências por parte do PFL”, defendeu José Agripino.