PIB negativo chega este ano a 6%, segundo pesquisa do Banco Central

Arquivado em: Comércio, Indústria, Negócios, Serviços, Últimas Notícias
Publicado segunda-feira, 25 de maio de 2020 as 15:58, por: CdB

Embora a estimativa de crescimento para 2021 tenha um ligeiro acréscimo, de 0,3 ponto percentual, chegando a 3,50%, o ambiente continua negativo junto as principais agências internacionais de risco, que preveem uma queda maior do que 10% no PIB para este ano e um crescimento abaixo de 1,5% para o ano que vem.

Por Redação – de Brasília

Analistas de mercado previram uma contração da economia brasileira perto de 6%, de acordo com a pesquisa Focus, divulgada pelo Banco Central nesta segunda-feira. De acordo com o levantamento semanal, o Produto Interno Bruto deve contrair 5,89% em 2020, de uma queda esperada anteriormente de 5,12%.

As nuvens carregadas de uma tempestade perfeita na economia brasileira continuam se aproximando do Banco Central
As nuvens carregadas de uma tempestade perfeita na economia brasileira continuam se aproximando do Banco Central

Embora a estimativa de crescimento para 2021 tenha um ligeiro acréscimo, de 0,3 ponto percentual, chegando a 3,50%, o ambiente continua negativo junto as principais agências internacionais de risco, que preveem uma queda maior do que 10% no PIB para este ano e um crescimento abaixo de 1,5% para o ano que vem.

O Ministério da Economia prevê contração do PIB em 2020 de 4,7%, contra alta de 0,02% vista em março. Esse seria o pior resultado da série histórica que começou em 1900.

Economistas

Já o cenário para a política monetária este ano permaneceu o mesmo, com os especialistas consultados mantendo a previsão de taxa básica de juros a 2,25%. Mas para 2021 a conta caiu a 3,29% na mediana das projeções, de 3,50% na semana anterior. O Top-5, grupo dos que mais acertam as previsões, também vê a Selic a 2,25% este ano, mas reduziu a perspectiva no ano que vem a 2,88%, de 3,50% antes.

A pesquisa com uma centena de economistas apontou ainda que a expectativa para a inflação passou a 1,57% em 2020 e 3,14% em 2021, de 1,59% e 3,20% respectivamente no levantamento anterior. O centro da meta oficial de 2020 é de 4%e, de 2021, de 3,75%, ambos com margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.

O cenário para o dólar também sofreu a alteração, com a moeda norte-americana estimada em R$ 5,40 este ano ante R$ 5,28 antes, e caindo a R$ 5,03 no final de 2021, de R$ 5 previamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *