PM ocupa acesso de duas comunidades na Zona Sul do Rio

Arquivado em: Destaque do Dia, Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quarta-feira, 6 de junho de 2018 as 15:59, por: CdB

O confronto começou depois que traficantes do Comando Vermelho invadiram a Babilônia.

 

Por Redação, com ABr – do Rio de Janeiro

Policiais militares do Batalhão de Ações com Cães (BAC) e da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) atuaram nas comunidades da Babilônia e Chapéu-Mangueira, no Leme, Zona Sul do Rio de Janeiro, na manhã desta quarta-feira. Os policiais estão posicionados nos acessos revistando carros e pessoas suspeitas que entram ou saem das duas comunidades.

Policiais começaram a ocupar os morros Chapéu Mangueira e Babilônia, no Leme, na Zona Sul
Policiais começaram a ocupar os morros Chapéu Mangueira e Babilônia, no Leme, na Zona Sul

Na terça-feira, os moradores viveram um dia de caos. Foram acordados com tiros de armas de grosso calibre como fuzis e pistolas e até explosões de granadas. Durante a operação da PM, dois homens foram mortos em confronto com militares do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Eles estavam armados com um fuzil e uma pistola e foram levados feridos para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, mas não resistiram aos ferimentos.

Invasão

O confronto começou depois que traficantes do Comando Vermelho invadiram a Babilônia com reforço de integrantes da mesma facção que comanda os morros do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, em Ipanema, para retomar os pontos de venda de drogas da comunidade, que estavam sendo controlados pelo Terceiro Comando, que há cerca de dois meses tomou a comunidade da Babilônia.

Cerca de 40 homens fortemente armados entraram no morro da Babilônia de madrugada, encapuzados e fortemente armados, por um acesso pela Avenida Princesa Isabel, perto do acesso ao Túnel Novo. Os traficantes da comunidade entraram em confronto e a guerra começou pouco depois das 5 horas da madrugada.

Os tiros foram ouvidos a quilômetros de distância e muita gente que saia de carro naquela hora evitou pegar o Aterro do Flamengo para chegar ao Centro da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *