PM prende criminosos e tira de circulação 57 armas

Arquivado em: Polícia, Rio de Janeiro, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021 as 11:46, por: CdB

Além de atuar em apoio a prefeituras no controle da propagação da pandemia da covid-19 em todo o Estado do Rio, a Secretaria de Estado de Polícia Militar não deu trégua no combate aos criminosos durante o último feriado prolongado.

Por Redação, com ACS – do Rio de Janeiro

Além de atuar em apoio a prefeituras no controle da propagação da pandemia da covid-19 em todo o Estado do Rio, a Secretaria de Estado de Polícia Militar não deu trégua no combate aos criminosos durante o último feriado prolongado.

PM prende 462 criminosos e tira de circulação 57 armas

Entre o último dia 12 e a manhã de quarta-feira, foram feitas 462 prisões e 62 apreensões de adolescentes envolvidos em atividades ilícitas.

Também foram retiradas das mãos de bandidos 57 armas de fogo, entre as quais dois fuzis, 18 pistolas e 22 revólveres. Uma das 18 pistolas apreendidas estava em poder de um criminosos fantasiado de bate-bola, em Campo Grande, na Zona Oeste da capital fluminense.

Artefatos explosivos

A PM também recolheu cinco artefatos explosivos (duas granadas e três bombas artesanais) e 18 réplicas de armas, a maioria de pistolas, utilizadas por criminosos para praticar roubos. Nas ações de patrulhamento, foram apreendidos ainda quase 40 quilos de cocaína e maconha, além de grande quantidade de pedras de crack e bolas de haxixe.

Ao receber o balanço operacional do feriado prolongado, expedido pela Subsecretaria de Inteligência da corporação, o secretário de Estado de Polícia Militar, comandante-geral Rogério Figueredo de Lacerda, enalteceu o valor do trabalho desempenhado pela tropa.

– Apesar de todas as adversidades, de uma crise sanitária sem precedentes nos últimos 100 anos, os nossos policiais militares demonstraram mais uma vez que não medem esforços para combater o crime e servir e proteger a sociedade – disse o coronel Figueredo.

Festa

Policiais civis da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) cumpriram, na quarta-feira, a primeira decisão deferida de sequestro e indisponibilidade de bens dos valores recebidos com a venda de ingressos para a festa Fresh Day Party. A ação foi cumprida na sede da empresa Ingresso Certo.

A DRCI tem realizado monitoramento das redes sociais para coibir eventos e aglomerações no período do carnaval. Esta foi a primeira de uma série de pedidos formulados pela delegacia para bloquear valores obtidos com a venda de ingressos para festas e eventos “clandestinos”, atacando diretamente o braço financeiro dos organizadores.

Outros eventos estão sendo monitorados. Após identificados, os organizadores podem ser criminalmente responsabilizados por infringir determinação do poder público destinada a impedir a propagação da covid-19.