Poetisa Louise Glück leva Nobel de Literatura

Arquivado em: América do Norte, Destaque do Dia, Mundo, Últimas Notícias
Publicado quinta-feira, 8 de outubro de 2020 as 14:06, por: CdB

A poeta norte-americana Louise Glück foi agraciada nesta quinta-feira com o Prêmio Nobel de Literatura por sua “voz poética inconfundível que, com beleza austera, torna universal a existência individual”, afirmou o comitê responsável pelo prêmio.

Por Redação, com DW – de Estocolmo

A poetisa norte-americana Louise Glück foi agraciada nesta quinta-feira com o Prêmio Nobel de Literatura por sua “voz poética inconfundível que, com beleza austera, torna universal a existência individual”, afirmou o comitê responsável pelo prêmio.

A poeta norte-americana Louise Glück
A poeta norte-americana Louise Glück

Nascida em Nova York, Glück, de 77 anos, fez sua estreia literária em 1968 com Firstborn e, segundo o comitê Nobel, ”logo se tornou uma das poetas mais proeminentes da literatura norte-americana contemporânea”.

O júri afirma que sua poesia é ”caracterizada por uma busca pela clareza”, frequentemente abordando temas como infância, vida familiar e relacionamentos entre pais e irmãos. Seus livros não estão disponíveis no Brasil com tradução para o português.

Na nota, é dado destaque para a obra Averno, de 2006, classificada como ”magistral”, que traz ”uma interpretação visionária do mito de descida de Perséfone ao inferno no cativeiro de Hades, o deus da morte”.

Bálcãs

Esse não é o primeiro prêmio que a professora da Universidade de Yale recebe em sua carreira. Em 1993, ela foi agraciada com o Prêmio Pulitzer por The Wild Iris e, em 2014, recebeu o National Book Award.

O anúncio deste ano vem depois de vários anos de polêmicas e escândalos envolvendo o prêmio literário mais famoso do mundo. Em 2018, a academia chegou a cancelar a premiação devido a acusações de abuso sexual envolvendo um dos integrantes da instituição, que foi condenado por estupro.

Depois de uma renovação para reconquistar a confiança da Fundação Nobel, dois laureados receberam o prêmio no ano passado: a polonesa Olga Tokarczuk, que ganhou a premiação referente a 2019, e o austríaco Peter Handke, a de 2018. A escolha de Handke causou polêmica e uma série de protestos devido a sua posição pró-Sérvia durante a guerra dos Bálcãs na década de 1990.

Glück normalmente receberia o prêmio do rei Carl Gustaf 16º numa cerimônia formal em Estocolmo no dia 10 de dezembro, aniversário da morte do cientista Alfred Nobel. Mas a cerimônia presencial foi cancelada neste ano devido à pandemia do coronavírus, e será substituída por uma cerimônia televisionada, com os laureados recebendo os prêmios em seus países de origem.

Pelo Nobel, Glück receberá 10 milhões de coroas suecas (cerca de US$ 1,1 milhão).

O prêmio de literatura

Seguindo a tradição, o prêmio de literatura é o quarto anunciado todos os anos, após o de medicina, o de física e o de quimíca. Neste ano, o Nobel de Medicina premiou o trio de cientistas Harvey Alter, Charles Rice e Michael Houghton pela descoberta do vírus da hepatite C, enquanto o Nobel de Física foi para os pesquisadores Roger Penrose, Reinhard Genzel e Andrea Ghez por estudos sobre a formação de buracos negros.

Já Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna foram laureadas com o Nobel de Química pela descoberta de um método para a edição do genoma conhecido como CRISPR-Cas9 ou “tesoura genética”.

Ainda falta o anúncio dos laureados no campos de economia e paz, que ocorre nos próximos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *